Aos brasileiros democráticos: A vida não acaba no domingo

A vida não acaba no domingo Por Julian Rodrigues*, especial para o Maria Frô A votação do dia 17 é a mais importante da história do Brasil desde as Diretas, é verdade. Mas,...

A vida não acaba no domingo

Por Julian Rodrigues*, especial para o Maria Frô

A votação do dia 17 é a mais importante da história do Brasil desde as Diretas, é verdade.

Mas, a vida não vai acabar domingo. Se ganharmos (o que é possível), o golpe continuará em marcha, por outros meios (Janot, TSE, mídia, etc).

Se o impeachment vencer, é mais uma razão para redobrarmos as mobilizações e a denúncia do golpe, no Brasil e no mundo. Senão vejamos: Dilma não deixará o cargo imediatamente, o Senado ainda tem que votar a admissibilidade. As pessoas estarão mais conscientes do que está em jogo, mais indignadas com a teatro farsesco de Cunha, tenderão a pressionar o Senado.

Se o Senado abrir o processo, Temer assume temporariamente, por 6 meses.

Dilma é afastada para sofrer julgamento, presidido pelo presidente do STF, mas não renunciará. Fará, desde Brasília, a denúncia do golpe.

Lula percorrerá o país em grandes atos com estudantes, artistas e intelectuais, fustigando o governo Temer, combatendo o golpe. A situação econômica vai se agravar.

Temer adotará medidas impopulares, mais setores da classe trabalhadora e do povão ficarão insatisfeitos e vão se manifestar.

Greves, ocupações, atos, paralisações tomarão conta do país. A repercussão internacional do golpe coloca em xeque a legitimidade do governo Temer, haverá pressão dos governos de esquerda e centro-esquerda da América Latina.

As pessoas se sentirão traídas em seu voto. Ficará a foto e a imagem do Cunha, o maior canalha do país, tirando do poder uma mulher íntegra, mãe avó, que não tem nenhuma acusação de corrupção contra si.

 Um possível governo Temer não terá nenhuma sustentabilidade. Nenhuma.

A reação tenderá a crescer e pode ser canalizada nas eleições municipais de outubro, alterando a correlação de forças eleitorais. Haddad se reelegerá prefeito e a esquerda ganhará capitais importantes.

Uma chapa Freixo/Jandira, por exemplo, pode vencer as eleições no Rio de Janeiro. A Frente Brasil Popular e a Frente Povo Sem Medo se constituirão, de fato, como o pólo dinâmico desse amplo bloco de esquerda, progressista e democrático. Poderão articular as ações de rua com uma forte alternativa eleitoral, pode ser Lula, inclusive, com um programa de reformas estruturais.

Então, é verdade: jogo só acaba quando termina (mesmo)!. Domingo é uma batalha importante, mas está longe de ser a batalha das batalhas! E pra continuar na toada dos nossos clichês: a luta continua, e a burguesia não nos faltará.

*Julian Rodrigues é ativista dos Direitos Humanos e LGBT


3 comments

  1. Cecília Novaes Responder

    Eles são muito perigosos. Conseguem o inimaginável. Olha o cenário, com o ladrão e o traidor, sendo adulados e obedecidos pela legião conspiradora. E de dar medo.

  2. luis Responder

    Vou ainda mais longe: O povão mesmo (pobre e trabalhador) não se manifestou a favor do impeachment. A Globo tentou “colar” a ideia que o carnacoxinha foi a “maior manifestação” já ocorrida, mas … nas fotos e vídeos apenas vejo brancos e loiros. Onde estavam os negros e pardos que se apertam todos os dias no trem?
    Como colocar no governo um político (M. Temer) que tem apenas 1% nas pesquisas presidenciais? Se o M. Temer fosse candidato a deputado federal teria menos votos que o Tiririca, talvez nem se elegesse.
    É hilário, desde 2013 o povo clama por melhorias, mas a “mudança” chegou com o PMDB, PP, Cunha e demais partidos achacadores profissionais.
    Será um caos!
    Aos que dizem que o exército intervirá lembro que os militares estão sucateados, há quarteis liberando funcionários para economizar na conta de luz, liberando recrutas para economizar na alimentação. Há quem diga que os militares não tem munição para 30 minutos de guerra, imagine para conter uma revolta popular.
    Claro, a mídia vai abafar, podem morrer centenas na frente do prédio da Globo que no dia seguinte as matérias da 1ª capa serão: “Cadela salva dona de afogamento”, “cientistas tentam reproduzir cavalos com chifre”, “Economia brasileira tem salto e se aproxima da americana”, “Conheçam o papagaio que fala ingles”.
    Vou vomitar um pouco …

  3. Denise Paiva Responder

    Uma opinião realista, gostosa de ler, eu estava pensando em uma derrota definitiva no domingo, mas Concordo que pode não ser, mas a continuação da luta nos trará mais aprendizado exnis fará mais fortes. Gostei demais da vitória do Haddad e da Jandira governadora.