Campanha: Homem de Verdade respeita as mulheres

Por Conceição Oliveira Quarenta por cento das mulheres brasileiras já sofreram de violência doméstica em algum momento de sua vida. Em 2014, foram mais de 45 mil estupros cometidos no Brasil. A cada duas horas uma mulher é assassinada...

Por Conceição Oliveira
Quarenta por cento das mulheres brasileiras já sofreram de violência doméstica em algum momento de sua vida.

Em 2014, foram mais de 45 mil estupros cometidos no Brasil. A cada duas horas uma mulher é assassinada no país, a maioria por homens com os quais têm relações afetivas. O que coloca o Brasil na 5ª posição em um ranking de 83 países em assassinato de mulheres.

De acordo com pesquisa nacional de percepção, 66% dos brasileiros presenciaram uma mulher sendo agredida fisicamente ou verbalmente em 2016.

A violência contra as mulheres também causa prejuízos econômicos ao planeta. Estima-se que o custo da violência contra as mulheres represente 2% do produto interno bruto global, ou cerca de 1,5 trilhões de dólares. A Organização das Nações Unidas no Dia Laranja Pelo Fim da Violência contra as Mulheres reforça seu apelo à mobilização de recursos para acabar com a violência contra mulheres e meninas e para o imenso custo dessa violência de gênero.

Como os leitores deste blog sabem, esta blogueira que vos fala sofreu ofensas e ameaças pela rede no dia da greve geral, ao denunciar a violência policial contra os manifestantes em Brasília. Providências junto ao CBMDF contra as ofensas e ameaças já foram tomadas.

Esta semana o auto-intitulado ‘humorista’ Danilo Gentili fez um vídeo machista, misógino, criminoso contra a deputada do PT do Rio Grande do Sul, Maria do Rosário. Providências cabíveis também estão sendo tomadas.

Mas não basta acionarmos as instituições contra esses ataques, ameaças, espetáculos de machismo e misoginia (isso porque não estamos tratando aqui de casos de racismo, homofobia e outros ataques aos direitos humanos). Precisamos criar uma cultura de enfrentamento desta onda de ódio e violência que invade as redes sociais e por vezes transbordam para as ruas.

Por isso e inspirada por outras campanhas ao redor do mundo iniciei uma campanha no facebook e trago-a para cá. Abaixo a proposta da campanha e os primeiros vídeos de #homensdeverdade que se opõem ao machismo, à misoginia, à cultura do ódio nas redes e nas ruas. O posicionamento de #homensdeverdade enfrentará a cultura de misóginos espalhada por figuras grotescas da mídia ou do Congresso e contribuirá para contribuir com uma rede mais sadia.

Conheça a campanha:
——————–
AOS HOMENS
Me dirijo aos homens, homens que abominam a forma grosseira, misógina de um sujeito que se acha acima das leis.
Em primeiro lugar, quem é homem, não este projeto de gente que não deu certo chamado Danilo Gentili, deve repudir a ação deste sujeito e deve fazer isso denunciando seu vídeo asqueroso que me recuso a fazer circular.
Homens verdadeiros não precisam de modo algum serem grosseiros para serem respeitados.
Homens verdadeiros tem relação sadia com as mulheres, suas mães, filhas, irmãs, companheiras, amigas, colegas de trabalho e qualquer mulher, mesmo que não a conheçam. Homens verdadeiros podem ser hetero ou homo, cis ou trans, basta ter caráter e valorizar a vida.
Homens verdadeiros devem se pronunciar, fazer vídeos em solidariedade à Maria do Rosário e repudiar a ação deste projeto desastroso de ser humano.
Homens verdadeiros devem exigir Justiça.
Nunca venceremos o machismo, a misoginia e a violência contra as mulheres sem uma JUSTIÇA REAL e sem o comprometimento de homens verdadeiros.
Portanto, não basta curtir, compartilhar e comentar este post. Faça isso, mas também aja:
1) Denuncie o vídeo
2) Faça um vídeo de solidariedade a Maria do Rosário e também de repúdio a esse canalha travestido de humorista. Vençam a sua timidez, imaginem que tamanha agressão foi dirigida à sua mãe, à sua filha, à sua irmã, à sua esposa, à sua amiga querida. Não precisa ser longo, o que precisa é sua manifestação. Se você se silencia diante disso o que resta?
3) Exija Justiça, como um sujeito como este pode ter um programa de TV na TV aberta?
Mulheres, convoque os verdadeiros homens de verdade que vocês conhecem. Vamos fazer desta campanha uma manifesta de uma comunicação sadia, não hostil.
Obrigada a todos dispostos a neutralizar a cultura do ódio que se alastra no Brasil.


PS. Agradeço aos companheiros que já começaram a fazer seus vídeos e ao companheiro Alex Capuano por ser o primeiro a apoiar esta campanha.


2 comments

  1. Tulio Responder

    “Homem de verdade” ou “ômi querendo biscoito”? “Homem de verdade” ou “esquerdomacho roubando protagonismo”? “Homem de verdade” ou “oportunista se apropriando de uma causa que não é sua para aparecer”? E mais uma dúvida: o que permite a alguém de outro género enumerar o que é ser homem (ou mulher ou trans, etc.) de verdade? Já fui esculachado mais de uma vez por escrever “de homem pra homem” contra o machismo, por defender pautas feministas, por apoiar a iniciativa He for she da ONU. Eu concordo plenamente com tudo que o texto defende e levo isso para o meu cotidiano. Mas, na minha opinião, baseado no que observo na militância das redes sociais, essa iniciativa é apenas mais uma armadilha pra lembrar os “homens de verdade ” de que boa parte da militância prefere que eles fiquem calados, justificando que figuras como Gentili podem fazer barulho com seu machismo pq isso é esperado deles e “coerente”. Enfim, acho que nessa proposta aí o feitiço vira contra o feiticeiro. Desviam a atenção da treta e dos atos abomináveis do Gentili pra detonar os “homens de verdade” para convertê-los ao “fundo do poço do feminismo”, machistas enrustidos, vaidosos, usurpadores e tudo de pior que pode existir.

    1. Conceição Oliveira Responder

      quanta confusão Túlio. Homens de verdade podem ser cis, trans, hetero, gays, bastam ter caráter.