Aristóteles e Dante Descobrem os Segredos do Universo, de Benjamin Alire Sáenz, que ganhou, dentre vários prêmios, o Stonewall Book Award, foi lançado pela editora Seguinte (selo que publica livros de temática jovem), do grupo editorial da Companhia das Letras, em abril deste ano com tradução de Clemente Pereira.

O romance de 392 páginas, com encadernação do tipo brochura, conta a história de Aristóteles e tudo o que envolve o seu mundo entre os 15 e quase 17 anos de idade, inclusive a amizade que ele trava com Dante, durante o verão de 1987.

O mundo de Ari, como ele chamado durante toda narrativa, é cheio de silêncios e solitário. Filho caçula de 04, ele nasceu quando seus irmãos já eram todos adolescentes quase adultos, sendo por isso considerado um atrasado, por suas irmãs mais velhas. A mãe é uma professora escolar e o pai carteiro e ex-combatente da guerra do Vietnã, e isso causa certo afastamento entre eles, já que os efeitos da guerra o tornaram uma pessoa sentimentalmente distante do filho. O irmão mais velho, Bernardo, é quase como se nunca tivesse existido, está preso e Ari não sabe os motivos, já que o assunto é tabu em sua casa e aconteceu quando ele era muito pequeno. Ari não tem amigos.

Dante não poderia ser tão diferente. Desenha, tem pais amorosos com os quais conversa, lê poesia e sabe nadar. Se relaciona com todas as pessoas e odeia usar sapatos.

Os dois se conhecem durante o verão de 1987, quando então tem 15 anos. Ari só sabe boiar e Dante se oferece para ensiná-lo a nadar. Assim eles se tornam melhores amigos e a descobrir os segredos do universo juntos, tudo em uma narração rápida, por conta dos capítulos em sua maioria curtos, muito embora não percam por conta disso a profundidade dos questionamentos e sentimentos dos meninos, principalmente os de Ari, que é quem nos conta toda a história.

Também é importante salientar que a intimidade entre os garotos se dá pela amizade, a descoberta do amor que há entre eles é apenas uma percepção que acontece bem depois, e essa é a grande sacada pra mim da história. Os questionamentos, as necessidades e uma vida que passa a coexistir também com essa amizade.

Ari precisa obter respostas, se sentir pertencente ao mundo, mas para isso ele tem que passar por coisas que estão fora da relação com Dante, justamente para que essa relação seja de fato solidificada.

Outra que coisa que não pode deixar de ser comentada é o fato dos pais do garoto serem bem naturais em relação aos sentimentos qe eles nutrem um pelo outro, numa El Paso de final dos anos 80, em famílias com raízes mexicanas. Tudo isso poderia parecer bem estranho temporalmente não fossem as situações e mesmo o modo como a relação dos meninos é construída, que torna a aceitação bastante coerente e verossímil.

Um romance que poderia ser considerado mais que “um romance gay”, pela forma como explora o tema em meio a outras situações narrativas.

O livro está disponível tanto em formato físico como digital e no site da Cia das Letras pode-se ler um trecho gratuitamente.

Comentários

Comentários