Canalhas! Canalhas! Canalhas! Assassinaram uma menina na escola no Rio de Janeiro!

maria-eduarda

Não tem outra forma a não ser expressar a minha mais profunda indignação. Canalhas, canalhas, canalhas! Covardes!!! Assassinaram uma criança dentro da escola. Não há outra forma de dizer isto: UMA MENINA DE 13 ANOS FOI ASSASSINADA NA ESCOLA EM UM TIROTEIO DA POLÍCIA DO RIO DE JANEIRO.

Maria Eduarda tinha 13 anos e estudava na escola municipal Jornalista Daniel Piza. Ironicamente, a escola homenageava um jornalista especializado em cultura e artista plástico e autor de livro que homenageava o grande Machado de Assis. A ilustração do jornalista dá nome a escola onde uma estudante é assassinada a tiros. Maria Eduarda estava na quadra da escola participando da aula de educação física. Apesar do desespero dos profissionais da escola que ligaram para todos os “19s” (190. 192, 193) o socorro demorou a chegar.

O laudo pericial mostra que a menina foi alvejada por balas. Vídeo flagrou policiais executando pessoas nesta mesma ação.

A menina estava na escola. Os babacas moralistas de plantão sempre dizem que crianças e adolescentes que são mortos pela polícia é porque “fizeram algo de errado”. O que Maria Eduarda fez de errado? Estava na escola? Fazendo educação física na quadra? E os serviços de emergência que demoraram a chegar?

Quem vai indenizar a dor do pai e mãe desta menina que perderam a filha desta forma estúpida?

Até quando esta canalhice das forças de “segurança” (sic) apoiados por um rebanho de imbecis que tiram selfies com Bolsonaro e companhia, que botam camisa amarela da seleção e enchem a boca para dizer que o maior problema do Brasil é a “corrupção do PT” vai continuar ceifando a vida e o sonho de meninas e meninos como Maria Eduarda? Ou tirar a vida de mães como a Cláudia? Ou trabalhadores como Amarildo?

Basta! Basta! Basta!









Golpe 16 - O livro da blogosfera em defesa da democracia

Golpe 16 é a versão da blogosfera de uma história de ruptura democrática que ainda está em curso. É um livro feito a quente, mas imprescindível para entender o atual momento político brasileiro

Organizado por Renato Rovai, o livro oferece textos de Adriana Delorenzo, Altamiro Borges, Beatriz Barbosa, Conceição Oliveira, Cynara Menezes, Dennis de Oliveira, Eduardo Guimarães, Fernando Brito, Gilberto Maringoni, Glauco Faria, Ivana Bentes, Lola Aronovich, Luiz Carlos Azenha, Maíra Streit, Marco Aurélio Weissheimer, Miguel do Rosário, Paulo Henrique Amorim, Paulo Nogueira, Paulo Salvador, Renata Mielli, Rodrigo Vianna, Sérgio Amadeu da Silveira e Tarso Cabral Violin. Com prefácio de Luiz Inácio Lula de Silva e entrevista de Dilma Rousseff.




Comentários