“Lula 2018” ganha as ruas: é o fantasma que assombra a Globo, o PSDB e o traidor Temer

Lula é o fantasma que pode barrar o golpe. E, se não barrar no dia 17, ocupará as ruas para resistir a um eventual governo (ilegal e ilegítimo) de Michel Temer.  ...

Lula é o fantasma que pode barrar o golpe. E, se não barrar no dia 17, ocupará as ruas para resistir a um eventual governo (ilegal e ilegítimo) de Michel Temer.  

"Lula 2018": o recado, na fachada do prédio onde fica Instituto FHC em SP
“Lula 2018”: o recado, na fachada do prédio onde fica o Instituto FHC em SP

por Rodrigo Vianna

Luola 2018 2

Seja qual for o resultado da votação no domingo (dia 17), um fantasma já assombra a direita brasileira – que, conduzida pela Globo/Cunha/Temer/Moro/Serra/FHC levou o país a um transe antidemocrático.

Esse fantasma aparece não só nas conversas de bastidor. Mas ganha as redes, e agora os muros: “Lula 2018!”

Pelo menos duas inscrições surgiram durante esta madrugada, na região central de São Paulo.

E o mais curioso: uma das pichações foi feita no prédio do Instituto FHC, próximo ao Vale do Anhangabaú. Um recado aos tucanos, que não têm voto pra chegar ao poder, e querem ganhar no tapetão.

O outro “Lula 2018” passou a enfeitar uma agência do Itaú – num claro recado aos apoiadores de Marina Silva. Ela terá que disputar o voto do povo. Não basta fazer acordos com banqueiros e com a Globo.

Este blog recebeu as fotos, e conversou com um dos responsáveis pela campanha: “Depois de ler a biografia do Brizola, não posso ficar parado com o que acontece no país”, diz o homem que nos enviou as fotos.

“Revoltante ver uma mulher com histórico de luta, e sem acusações de corrupção, ser tirada do poder por gente como Cunha e Temer”, ele completa.

Pergunto, então: “vocês se articulam em algum coletivo?”

“Sim, somos do Coletivo Brizola Vive, e pretendemos resistir de forma ativa se o golpe vingar. Se não vingar, também estaremos nas ruas porque os fascistas precisam ser enfrentados”.

Os responsáveis pelas pichações também escreveram nas paredes do Vale do Anhangabaú: “FHC golpista”. E a campanha seguirá, independentemente do resultado da votação no dia 17.

Aliás, os dois lados a essa altura cantam vitória: Jaques Wagner (ministro de Dilma) anuncia 205 votos contra o golpe. Já a mídia, a serviço de Temer/Serra, fala em quase 340 deputados declarados a favor do impeachment. Mas a verdade é que os dois lados estão na incerteza.

Se Cunha tivesse confiança na vitória, não precisaria recorrer à chicana absurda de começar votação pelo Sul e Sudeste, pra criar uma “onda pela vitória”. De outro lado, se deputados governistas tivessem certeza do triunfo, não iriam ao STF para pedir que Cunha seja impedido de manobrar e decidir tudo sozinho durante a votação.

São sinais de que o triunfalismo do PMDB nada mais é do que guerra psicológica. Sim, o golpe pode ganhar. Mas não ganhou. O jogo está sendo jogado.

O fato novo é que Lula, nesta quinta-feira, acaba de anunciar um Manifesto de Defesa da Democracia, com assinaturas de 185 deputados, e 30 senadores.

Seria a base para resistir ao terror midiático que deve crescer até domingo.

Lula, de novo, é o fantasma que pode barrar o golpe.

E, se não barrar no dia 17, ocupará as ruas para resistir a um eventual governo (ilegal e ilegítimo) de Michel Temer.


Você ganha descontos em livros e produtos do programa Sócio Fórum.




Você ganha descontos em livros e produtos do programa Sócio Fórum e recebe a cada 3 meses um livro das Edições Fórum na sua casa.




Você ganha descontos em livros e produtos do programa Sócio Fórum, recebe a cada 3 meses um livro das Edições Fórum na sua casa e ganha 1 caneca personalizada da Fórum após 6 meses.




Você ganha descontos em livros e produtos do programa Sócio Fórum, recebe a cada 3 meses um livro das Edições Fórum na sua casa, ganha 1 caneca personalizada da Fórum após 6 meses e 1 camiseta personalizada após 1 ano.





Golpe 16 - O livro da blogosfera em defesa da democracia

Golpe 16 é a versão da blogosfera de uma história de ruptura democrática que ainda está em curso. É um livro feito a quente, mas imprescindível para entender o atual momento político brasileiro

Organizado por Renato Rovai, o livro oferece textos de Adriana Delorenzo, Altamiro Borges, Beatriz Barbosa, Conceição Oliveira, Cynara Menezes, Dennis de Oliveira, Eduardo Guimarães, Fernando Brito, Gilberto Maringoni, Glauco Faria, Ivana Bentes, Lola Aronovich, Luiz Carlos Azenha, Maíra Streit, Marco Aurélio Weissheimer, Miguel do Rosário, Paulo Henrique Amorim, Paulo Nogueira, Paulo Salvador, Renata Mielli, Rodrigo Vianna, Sérgio Amadeu da Silveira e Tarso Cabral Violin. Com prefácio de Luiz Inácio Lula de Silva e entrevista de Dilma Rousseff.




Join the Conversation

2 comments

  1. Bacellar Responder

    Os golpistas declarados como Cunha (Cunha moralistas!!!Cunha!!!) e Skaff serão combatidos sem descanso e os amoitados como Serra e Robertomarinhojuniors também. Dos 54 milhões de votos de Dilma tenho certeza de que no mínimo 10 milhões foram dados por pessoas altamente politizadas, multiplicadoras e dispostas a brigar pelo bem do Brasil.

  2. C.Paoliello Responder

    Duvivier: precisamos falar sobre Temer

    http://www.vermelho.org.br/noticia/279340-1