Golpe parlamentar minguou, mas golpe judicial avança: Lula é o alvo do juiz de camisas negras - Escrevinhador

Golpe parlamentar minguou, mas golpe judicial avança: Lula é o alvo do juiz de camisas negras

O juiz das camisas negras olha em direção a Lula por Rodrigo Vianna O retorno de Henrique Pizzolato ao Brasil, o bloqueio das...

O juiz das camisas negras olha em direção a Lula
O juiz das camisas negras olha em direção a Lula

por Rodrigo Vianna

O retorno de Henrique Pizzolato ao Brasil, o bloqueio das contas de Eduardo Cunha na Suíça e a nova convocação da seleção de Dunga acabaram por deixar em segundo plano um fato que pode ser decisivo para o desfecho da crise política no Brasil: o STF negou habeas corpus que pedia a liberação de Marcelo Odebrecht, dono de empreiteira preso há quatro meses pelo juiz das camisas negras – Sérgio Moro.

Moro 2

Advogados que acompanham de perto a Operação Lava-Jato observam a decisão como a senha que Moro esperava: ele agora começará a mover as peças em direção do rei no tabuleiro. Moro quer Lula preso. Sempre quis. Ou, na pior das hipóteses (para Moro), Lula estará solto mas desmoralizado.

Na narrativa megalomaníaca estabelecida pelo juiz das camisas negras, Lula seria o Bettino Craxi brasileiro. Craxi era o líder do Partido Socialista Italiano, e se tornou o grande alvo da operação Mãos Limpas.

Moro vai testando as jogadas no tabuleiro. Se o STF o desautorizasse, expedindo habeas corpus para presos de primeira grandeza (como é o caso de Odebrecht), o juiz talvez não se arriscasse agora a chegar até Lula. Mas o STF parece temer Moro. Foi essa a senha emitida.

“Com a decisão de Teori, aguarde para a semana que vem, ou no mais tardar a outra, a prisão do empresário Bunlai e também do filho de Lula”, diz ao blogueiro um advogado que atua na defesa de empresários atingidos pela fúria de Moro.

O blogueiro, a princípio, duvida da tese do advogado: “Moro vai prender o filho, você acha?”

“Sim, vai prender o filho, pois tem medo da reação de prender o pai. A estratégia é maquiavélica: esvazia o argumento de que é uma prisão política, arrasa o Lula e ainda o desmoraliza”, diz o advogado, que em outros momentos trouxe a este blogueiro análises certeiras, sempre baseadas em fatos e não em desejos dele (leia aqui outro texto que teve como fonte o mesmo advogado).

Moro estaria nesse momento tomando o pulso do STF. Lembremos que, no passado recente, o ministro Gilmar Mendes desautorizou o juiz de primeiro grau Fausto de Sanctis, relaxando por duas vezes a prisão do banqueiro Daniel Dantas. Sanctis, depois, foi triturado pela máquina midiática aliada a Gilmar Mendes.

Moro sabe que não corre o mesmo risco, mas era preciso saber até onde vai a coragem de Teori e de outros ministros do Supremo. Pelo visto, não vai até o ponto de desautorizar de maneira enfática o poderoso juiz de Curitiba.

De onde vem o poder de Moro? Certamente, não é apenas o poder comum de que se investe um juiz de primeiro grau. Sobre o julgador das camisas negras, há muitas teorias. Há quem o veja como um ser dotado de mentalidade salvacionista e algo messiânica (“tenho a missão de combater a corrupção”); outros o percebem como emissário de um poder maior, quiçá instalado até fora do país.

O que não se pode negar é que há uma “operação de inteligência”, procurando casar as decisões judiciais, com a pauta midiática e as manifestações de rua.

Não é à toa que o boneco inflável de Lula ganhou as ruas nos últimos meses. Trata-se de operação casada, calculada milimetricamente.

Não foi Moro que inflou os bonecos, dirão alguns. Mas basta seguir a articulação que une a Globo, Moro e estranhos personagens (como o jovem  Chequer, formado nos Estados Unidos) para o centro das articulações golpistas: logo se vislumbrará que o juiz é parte de uma articulação mais ampla.

Moro sabe que o caminho para chegar a Lula passa pelo empresário Bunlai. Este não leva diretamente ao ex-presidente, mas pode mover as peças – primeiramente – em direção à família do líder petista.

“Pessoalmente, isso quebraria mais o Lula do que se fosse ele mesmo preso“, diz o advogado, que revela também: “vários [empresários e advogados] me dizem que a pergunta sobre ele [Bunlai] tem surgido para todos que estão negociando delação premiada“. É a forma de se chegar ao filho de Lula. Por enquanto, há apenas manchetes sem substância, mas vai-se estabelecendo a narrativa. AS decisões de Moro dependem dessa narrativa – externa aos autos.

O cenário se parece muito com 1954, quando Carlos Lacerda tratava o filho de Vargas como “o filho rico do pai dos pobres”. Nem isso mudou na sintaxe dos que se opõem ao trabalhismo e pregam o golpe.

A UDN ameaçava levar o filho de Vargas preso ao Galeão – onde a Aeronáutica conduzia seus inquéritos, como se fosse um estado paralelo. O presidente reagiu, com o suicídio.

O Galeão de 2015 fica em Curitiba. O juiz das camisas negras tem como objetivo final um líder que talvez não possua a dimensão trágica de Vargas. Mas que lutará até o último momento.

O que se percebe é que nos últimos dias o golpe parlamentar parece ter minguado, enquanto o golpe pela via judicial ganha força – de forma discreta. Por isso mesmo, pode ter muito mais impacto.

Lembremos que foi Lula quem articulou a reação que pôs o governo Dilma de novo em pé. Se Lula for alvejado, ainda que indiretamente, através do filho, todo o campo que se mantem de forma frágil em torno de Dilma, ficará mais vulnerável.

O jogo não está jogado, mas as peças se movem em direção ao rei.


Join the Conversation

18 comments

  1. flavio botelho junior Reply

    Bem claro a matéria dizendo ” juiz de camisas negras “, o nazifascismo era da cor negra, portanto o judiciário esta tomado por eles com a devida colaboração da cia “eua” que treinou delegados, procuradores, e juízes, criminosos de lesa pátria chegaram o dia de vocês.

  2. Luís CPPrudente Reply

    Esse Moro fala fino com o Achacador Cunha, com os “idôneos” tucanos e as famiglias do PIG, mas fala grosso com petistas e quem defende a soberania nacional.

    O STF tem que parar as sandices da Vara de Guantânamo e seu chefe de camisas negras.

  3. Maria Rita Reply

    Agora, aquele que se acha acima de qualquer suspeita, anuncia o lançamento do primeiro livro de uma série sobre suas memórias na presidência. Vai ser o primeiro caso de um delator tucano que nunca foi para a prisão, nem mesmo no tempo da ditadura, apesar dos pesares e transtornos que impingiu à nação brasileira durante seu reinado duplo, proeza reconquistada inclusive com compras de votos no Congresso. Ele já começou com uma confissão, não esperem nada mais contra ele além disso. Vai ser seu último papel feio ou, melhor dizendo, seu último papelão sociológico, o de dedo duro contra algumas lideranças que sempre o ofuscaram. Porque ele sabe, tem certeza, de que delação de petista não vem ao caso, a não ser que acuse o maior petista que chegou lá. Lá, onde ele nunca esteve, apesar dele vir da casa grande. Apesar do tal imortal ter sido a origem do mensalão com Marcos Valério, primeiro mensalão esquecido e quase arquivado. Apesar de um parceiro seu dizer que eles estavam no limite da irresponsabilidade nas ações já relatadas pela imprensa e minuciosamente destrinchadas no livro a Privataria Tucana. Amestrado, como sua equipe econômica, oriunda da escola neoliberalista de Chicago, ainda lançou um projeto social de interesse pessoal e empresarial, o bolsa-mídia, que garante até hoje uma propaganda maciça contra os governos petistas e seus aliados, os féis e os de ocasião. E o tal empreendimento não ajudou seu grupo a voltar ao poder, então foi ampliado. A formação de um MP com um ideário moldado pelos mestres das academias norte-americanas, financiado por muitos braços internos e externos (saberemos talvez, depois de passado o tempo que os arquivos norte-americanos liberarem a história oficial), faz parte da última montagem de um golpe que deveria ser paraguaio, fácil e rápido, quase indolor segundo o projeto da embaixadora dos EUA. Mas, o Brasil não é o Paraguai. Também não é Honduras. Talvez Deus não seja mais brasileiro, parece que agora Ele é suíço.

  4. Guimarães Roberto Reply

    Se isso vier a acontecer, fatalmente veremos uma Curitiba sitiada e sem a 4ª Frota para dar socorro ao árbitro. Prováveis medidas a serem tomadas pelo árbitro: 1- solicitar reforço policial e/ou, até mesmo, do EB; 2- fechar o espaço aéreo; 3- bloquear as principais vias de acesso terrestre; e 4- impedir a circulação de veículos não oficiais. Espero que a população estoque alimentos, água potável, medicamentos, lanternas, pilhas e etc. e fique em casa. Das principais nações do mundo, o Brasil é o único que ainda não teve sua guerra civil. Talvez esteja nos planos desse árbitro dar o pontapé inicial e sobre isso nada sabemos.

  5. Araujo Reply

    O problema é o STF, instituição totalmente desacreditada. Depois da farsa que foi o mensalão essa instituiçao perdeu todo respeito da área jurídica. Agora um juiz desqualificado, de 1a instância, é quem dita as regras constitucionais. E os ministros do supremo, sem exceção, dança de acordo com o desMOROlizado.

  6. Fabio Meirelles Reply

    O golpista Moro se move, junto com a Justiça golpista e o PIG.
    O PT e a o governo Dilma se acovardam e assim os golpistas vão ganhando espaço e poder.
    A negativa da Dilma em tirar o tucano Cardozo da PF é a senha que a Dilma deu para o golpe contra Lula e a sua familia acontecer.
    O objetivo da Dilma é a destruição politica do Lula e do PT, alguem duvida.

  7. C.Paoliello Reply

    As datas para atingir o PT ou petistas de peso, são escolhidas meticulosamente pelas instituições “republicanas”, com destaque para a milícia tucana (na verdade uma réplica da Gestapo nazista):

    http://www.redebrasilatual.com.br/politica/2015/10/congresso-ferve-com-busca-em-empresas-de-lulinha-e-acusa-acao-de-oportunismo-politico-9206.html

  8. C.Paoliello Reply

    Tucanos não conseguem explicar ao TSE graves problemas em 78% das contas de campanha de aécim de Furnas:

    http://www.conversaafiada.com.br/politica/pt-quer-investigacao-nas-contas-de-aecio

  9. C.Paoliello Reply

    Consumo é um dos principais motores do crescimento de 6,9% da economia chinesa no 3º trimestre, afirmam autoridades econômicas da China:

    http://cctv.cntv.cn/2015/10/27/VIDE1445917801089500.shtml

  10. José Fernandes Reply

    O Presidente Lula tem o Povo.

  11. Edgar Reply

    Digamos que o poder maior, instalado fora do país, encontrou os messiânicos e foi amor à primeira vista.

  12. alício Reply

    Comparando com a novela os Dez Mandamentos, o homem de paletó preto seria o Ramsés brasileiro, o Órus vivo, o Senhor das duas terras(Brasil e Paraná), o deus absoluto. Lula seria o Moisés e libertaria o povo brasileiro, incluindo os paranaenses, levando-os à Terra Prometida. O que aconteceu com Ramsés vocês já conhecem.

  13. C.Paoliello Reply

    Prepara-se novo “delator premiado” para destruir Lula:

    http://tijolaco.com.br/blog/gaspari-abre-o-jogo-prepara-se-um-novo-youssef/

  14. C.Paoliello Reply

    A blindagem ao aécim de Furnas é implacável e insone. Saíu do ar um portal que o critica: http://www.minasmelhor.com.br
    Não por acaso foi o que aconteceu a todos os portais que se opuseram ao seu (des)governo.

  15. Arnaldo Costa Reply

    Quero muito saber Sr. tucano Moro por onde andam as provas contra Serra, Aético, Álvaro Dias, FHC, Richa e outros aliados políticos da sua turma? Esses picaretas estão afundados na lama da lava-jato, sendo um deles amigo íntimo e mentor do doleiro Youssef, e nada aparece. Por que você e sua corja de Curitiba não querem investigar onde tudo teve inicio, no tal desgoverno FHC? Não vem ao caso? CANSAMOS DE SER ENGANADOS! Chega de politização e papagaiada do judiciário! Não aguentamos mais essas alianças escusas com a máfia demotucana! Vocês estão aí para fazerem justiça e não para promover espetáculo para picaretas tucanos encabeçados pela veja e globo!