Fiesp paga milhões pelo impeachment

Nesta terça-feira (29), banners da campanha “não vou pagar o pato” e mensagens de “impeachment já” tomaram as edições impressas e digitais dos dois principais jornais de São Paulo; ação da entidade conta ainda com pato gigante e centenas de “patinhos” em frente ao Congresso Nacional para comemorar a debandada do PMDB no governo

Por Redação

Uma das principais articuladoras dos movimentos pró-impeachment, a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), que já chegou até a fornecer almoço com filé mignon para manifestantes de verde e amarelo, decidiu investir ainda mais dinheiro em prol da causa. Criadora da campanha ‘Não vou pagar o pato’, que visa protestar contra a quantidade de tributos a serem pagos ao Estado, a entidade de Paulo Skaf investiu, nesta terça-feira (29), milhões de reais em uma ação de marketing direcionada à veículos de mídia.

No jornal O Estado de S. Paulo e na Folha de S. Paulo, tanto nas edições impressas como nas digitais, foram colocados banners da “campanha do pato” e mensagens de “impeachment já”. De acordo com o Tijolaço, pelo cálculo de tabela de publicidade em impressos, os anúncios no Estadão e na Folha teria custado à Fiesp cerca de R$ 5 milhões.

Reprodução
Reprodução

Isso ainda sem contar a publicidade na versão digital. No Estadão, por exemplo, a mensagem pró-impeachment ocupa a posição de maior destaque do site e toda a home está encoberta pelas cores da campanha. Ao clicar, o internauta é redirecionado para o site do ‘não vou pagar o pato’.

Reprodução/Estadão
Reprodução/Estadão

Além das ações publicitárias, a “casa do impeachment” – denominação que a própria Fiesp se atribuiu ao longo dos acampamentos que se formaram nas últimas semanas em frente a sua sede em São Paulo – custeou ainda um pato inflável gigante e centenas de pequenos patos de borracha que foram colocados em frente ao Congresso Nacional como forma de comemorar a saída do PMDB do governo. Há relatos, inclusive, de pessoas que estariam vestindo roupas de pato de pelúcia fornecidas pela federação.

Foto: Reprodução/Facebook
Foto: Reprodução/Facebook

Procurada, a assessoria de imprensa da Fiesp não soube dizer quais foram os valores gastos com a ação publicitária e solicitou que Fórum procurasse pela área de marketing da empresa, que, às 17h40, já não estava mais funcionando.

 

No artigo