Datena e Maluf brigam ao vivo em rádio: “Na Globo eu me defendo”

Ex-governador disse que não ia mais falar com o jornalista porque a Bandeirantes tem pouca audiência. Irritado, Datena desligou o telefone e encerrou a entrevista: “Eu não admito o cara desprezar o veículo que eu trabalho, não admito”, disse

Da Redação

Uma entrevista feita por Datena em seu programa 90 Minutos, na Rádio Bandeirantes, terminou em bate-boca. O jornalista perdeu a paciência com o deputado federal Paulo Maluf (PP-SP) nesta sexta-feira (17). Veja abaixo alguns trechos.

– O problema não é o que você construiu, o problema é que dizem que você levou muita grana para construir isso.
– Não é verdade! É mentira! E se você assinar embaixo desses caluniadores eu vou ter que processar você, Datena.
– Você faz o que você quiser, Maluf! Eu estou preocupado com processo seu? Você tem quantos processos parados em Brasília?
– Eu tenho 50 anos de vida pública.
– E eu tenho 45 de jornalismo! Você não vem com ameaça! Você não venha me ameaçar aqui não porque não tenho medo de ameaça não, Maluf!
– Eu não estou te ameaçando, não.
– Você está me ameaçando, sim! Não tem coisa mais vil do que você ameaçar alguém. Você quer continuar a entrevista para me ameaçar, para rusgas passadas, ou você quer continuar a entrevista legal e responder o que eu te pergunto?
– Nunca pedi pergunta, você só não pode mentir pela boca dos outros.
– Eu não estou mentindo! Eu estou falando o que todo mundo diz e você tem a oportunidade de responder! Por que você não responde o que eu pergunto? Você não está respondendo, você está tendo o sagrado direito de responder!
– A sua rádio e a tua potência aí, infelizmente, têm muito pouca audiência, mas na Rede Globo eu me defendo.
– Você acha que nós temos pouca audiência?
– Vocês, não. Você.
– Então por que você está falando aqui?
– Porque você me convidou, me telefonaram três vezes.

A discussão começa por volta dos 8 minutos de entrevista, ouça abaixo.

Leia também:

Maluf se gaba por não estar na Lava Jato e escancara como brasileiro tolera corrupção

No artigo