03 de dezembro de 2018, 20h45

110 mil toneladas por ano: SP é o estado que mais consome agrotóxicos no país

Nesta segunda-feira (3) é celebrado o Dia Mundial de Combate ao Uso dos Agrotóxicos; data lembra a tragédia ocorrida em 1984 na Índia, quando o vazamento em uma fábrica de agrotóxicos provocou cerca de 10 mil mortes

Foto: Campanha 'Chega de Agrotóxicos'

Nesta segunda-feira (3) é celebrado, em várias partes do mundo, o Dia Mundial de Combate ao Uso dos Agrotóxicos. A data lembra a tragédia que ocorreu na cidade de Bophal, na Índia, em 1984, quando um vazamento em uma fábrica de agrotóxicos provocou a morte de cerca de 10 mil pessoas e a intoxicação de outras 150 mil.

O dia 3 dezembro, desde então, vem servindo com incentivo para que os governos por todo o mundo reduzam o consumo de agrotóxicos. O Brasil, no entanto, caminha no sentido contrário.

Fórum precisa ter um jornalista em Brasília em 2019. Será que você pode nos ajudar nisso? Clique aqui e saiba mais

Além de ser um dos maiores consumidores de agrotóxicos do mundo, o Brasil pode aprovar, no futuro governo de Jair Bolsonaro, o chamado “PL do Veneno”, um projeto de lei que tramita no Congresso Nacional e que visa flexibilizar ainda mais o uso dos agrotóxicos.

São Paulo, o campeão em agrotóxicos no Brasil 

Na última segunda-feira (26), foi realizada na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp) uma audiência pública para debater o tema. Na ocasião, a professora de Geografia da USP, Larissa Bombardi,  apresentou dados mostrando que São Paulo é o estado em que mais se consome agrotóxicos no país. A professora é autora do Atlas de Geografia do Uso de Agrotóxicos no Brasil e Conexões com a União Europeia.

“Temos ido ao avesso da segurança alimentar, da soberania e transformamos o alimento em commodities e agroenergia”, disse.

De acordo com Larissa, o estado consome em média 110 mil toneladas dessas substâncias e tem 70% de sua área alvo de pulverização. “São Paulo consome de 12 a 16 kg de agrotóxicos por hectare. Na União Europeia, esse número chega a ser 20 vezes menor. É um modelo destrutivo por si próprio”, alertou.

Representante da Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos, a engenheira agrônoma Carla Bueno convocou um mobilização em favor da aprovação da PNARA – Política Nacional de Redução dos Agrotóxicos. “A PNARA é a nossa principal ferramenta na construção do debate para a transposição para um modelo de agricultura mais sustentável”, pediu. “Se não nos preocuparmos com o uso de agrotóxicos, seremos cada vez mais vítimas de câncer, que não escolhe classe social ou gênero. Quem é rico pode comprar produtos orgânicos, que são mais caros, mas quem é pobre não”, apontou.

O encontro foi organizado pelo deputado estadual Marcos Martins (PT).

Agora que você chegou ao final desse texto e viu a importância da Fórum, que tal apoiar a criação da sucursal de Brasília? Clique aqui e saiba mais