Movimentos irão às ruas dia 23 por nenhum direito a menos

O Fórum dos movimentos sindical, popular e estudantil divulgou nota convocando o povo brasileiro a ir às ruas dia 23 de maio contra toda reforma que retirem direitos. O Fórum dos movimentos sindical, popular e...

163 0

O Fórum dos movimentos sindical, popular e estudantil divulgou nota convocando o povo brasileiro a ir às ruas dia 23 de maio contra toda reforma que retirem direitos.

O Fórum dos movimentos sindical, popular e estudantil divulgou nota convocando o povo brasileiro a ir às ruas dia 23 de maio contra toda reforma que retirem direitos, em especial a Reforma da Previdência, contra a política econômica e o pagamento das dívidas interna e externa, em defesa do direito de greve e contra a criminalização dos movimentos socais. Leia abaixo íntegra da nota.

Convocatória da Jornada de Lutas do dia 23 de maio

O movimento sindical, popular e estudantil convoca trabalhadores e o povo a lutar: contra a reforma da previdência, contra toda reforma que retire direitos (não à emenda 3), por emprego, salário digno, reforma agrária e moradia, contra a política econômica e o pagamento das dívidas interna/externa, em defesa do direito de greve e contra a criminalização dos movimentos sociais.

Nós, lutadores e lutadoras do movimento popular, convocamos toda a sociedade para uma grande jornada de lutas, no dia 23 de maio de 2007, contra essa política econômica e o superávit primário, pelo não pagamento das dívidas externa/interna e por uma auditoria dessas dívidas, bem como contra qualquer tipo de reforma que traga prejuízos à classe trabalhadora e à soberania do país.

Vamos nos manifestar contra a política econômica do governo federal, que enriquece banqueiros e grandes empresários, estrangula qualquer possibilidade de investimentos em políticas sociais, mantendo a perversa concentração de renda.

Vamos nos manifestar contra a retirada de direitos trabalhistas e contra a reforma previdenciária apresentada, pois é inadmissível reduzir nossas conquistas históricas.

Lutamos para libertar o Brasil do domínio imperialista, que impõe o agronegócio, que destrói a natureza e compromete a capacidade de produção de alimentos para o povo.

Nos irmanamos a todos os povos latino-americanos em defesa da independência e da soberania de nossos países. Nos manifestamos pela retirada das tropas do Haiti e contra a invasão do Iraque pelos Estados Unidos.

Estamos nas ruas por mais direitos para o povo:

– Reforma Agrária

– Emprego para todos, redução da jornada de trabalho sem redução de salários

– Em defesa do direito irrestrito de greve, contra a criminalização dos movimentos sociais

– Em defesa do serviço público: educação e saúde pública, gratuita e de qualidade para todos.

– Direito de moradia digna para todos

– Em defesa do meio ambiente, contra a destruição da Amazônia

-Valorização do salário mínimo e das aposentadorias

– Contra a autonomia do Banco Central

– Contra todas as formas de discriminação e opressão racial, homofóbica e sexista

– Pela anulação do leilão da privatização da Vale do Rio Doce

– Energia com tarifa social

– Pela democratização dos meios de comunicação.

– Em defesa dos lutadores e lutadoras do movimento sindical e popular, pela reintegração imediata de todos dirigente sindicais, a exemplo dos companheiros do Metrô de São Paulo, e pela imediata libertação dos presos políticos.

Assinam:

UNE (União Nacional dos Estudantes)

CMS (Coordenação dos Movimentos Sociais)

Conam (Confederação Nacional das Associações de Moradores)

Conlutas (Coordenação Nacional de Lutas)

Intersindical

CUT (Central Única dos Trabalhadores)

MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra)

Via Campesina

Assembléia Popular

UBES (União Brasileira dos Estudantes Secundaristas)

Marcha Mundial das Mulheres

Pastorais Sociais

ANPG (Associação Nacional de Pós-Graduandos)



No artigo

x