Professores de Pernambuco entram em greve

Educadores da rede estadual e da rede particular entraram em greve nesta segunda-feira, 11, por tempo indeterminado.

213 0

Educadores da rede estadual e da rede particular entraram em greve nesta segunda-feira, 11, por tempo indeterminado.

Por Redação

Cerca de 30 mil professores entraram em greve nesta segunda-feira, 11. A categoria reivindica a equiparação do piso com o salário mínimo, hoje em R$ 380, além de 16% de reajuste. Outros pontos da reivindicação são a instituição da progressão salarial por desempenho e a confirmação do abono educação, de 50%, para o mês de outubro. A melhoria na qualidade das escolas e a convocação dos aprovados no último concurso público também estão incluídas na pauta.

A greve deflagrada por tempo indeterminado, atinge 1.105 escolas e estima-se que um milhão de estudantes ficarão sem aulas.

Segundo o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado de Pernambuco (Sintepe), Heleno Araújo, em nota divulgada na página do sindicato na internet, quase mil professores no estado recebem salário inferior ao mínimo.

Nesta segunda-feira, os professores percorrerão as escolas para explicar os motivos da greve e convocar estudantes e pais para a passeata da terça, dia 12. O ato deverá reunir os outros docentes em greve. A concentração da marcha será na Praça Oswaldo Cruz, na Boa Vista, Centro, às 14h.

Histórico Na sexta-feira passada, 8, professores e funcionários administrativos realizaram uma passeata, após assembléia do Sintepe, onde repudiaram a proposta do governo, que só pretende negociar questões salariais a partir de julho.

A passeata entregou, no Palácio do Campo das Princesas, sede do governo estadual, documento solicitando uma reunião com o Governador Eduardo Campos (PSB) para a próxima quarta-feira, dia 13. Uma comissão de grevistas deve ser recebida na Secretaria Estadual de Educação. No dia seguinte, haverá outra assembléia da categoria para decidir os rumos da greve.



No artigo

x