FAO alerta: combate à fome mundial não tem sido eficaz

Segundo o subdiretor-geral da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), David Harcharik, fome continua a aumentar no mundo. Apesar do esforço mundial no combate à pobreza, a fome continua aumentando no mundo....

262 0

Segundo o subdiretor-geral da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), David Harcharik, fome continua a aumentar no mundo.

Apesar do esforço mundial no combate à pobreza, a fome continua aumentando no mundo. A afirmação de David Harcharik, subdiretor-geral da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), é de que o número total de pessoas que passam fome é de 854 milhões de cidadãos.

A África Subsaariana é a região onde a situação piorou mais. Segundo a FAO, um terço dos africanos passa fome, 220 milhões. O indicador inclui 45 milhões de pessoas que cronicamente desnutridas nos últimos 15 anos.

A redução da assistência internacional para a agricultura na África nas duas últimas décadas, bem como da ajuda em alimentos nos últimos 10 anos, são responsáveis pelo aumento, segundo Daly Belgasmi, diretor do Programa Mundial de Alimentos (PMA). Ele classificou como drástica a redução, de 15 milhões de toneladas para 6,8 milhões em alimentos doados.

O dado se confronta com o balanço positivo que tomava conta da avaliação dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, que ocorre em Genebra, na Suíça, em reunião anual do Conselho Econômico e Social (Ecosoc) da ONU. O relatório apresentado na segunda-feira, 2, pelo secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, apontava que metade dos objetivos já havia sido alcançado.

Harcharik, da FAO, disse em entrevista coletiva a agências de notícia, a África sobre insegurança alimentar pela pouca força das instituições e por investimentos insuficientes internos e externos. A aplicação de recursos estrangeiros diretos na economia dobrou nos últimos três anos, chegando a US$ 38 bilhões, o que gerou um crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de 5% ao ano desde 2004. Mas as doações diminuíram, ao contrário da promessa de aumentar em US$ 25 bilhões ao ano.

(Com informações do Vermelho e de agências)



No artigo

x