Recorde de inscrições no Prêmio Fundação BB de Tecnologia Social

Educação foi o tema com maior número de inscritos. Sudeste foi a região com mais propostas.

207 0

Educação foi o tema com maior número de inscritos. Sudeste foi a região com mais propostas.

Por Redação

A Fundação Banco do Brasil anunciou hoje (18) à tarde, em Brasília, o número de inscrições recebidas na quarta edição do Prêmio Fundação BB de Tecnologia Social. O total de 782 inscritos foi recorde em relação aos anos anteriores. Em 2005, foram feitas 636 inscrições e, em 2003, 634. O número registrado em 2001 foi de 523. O crescimento de 2007 em relação a 2001 foi de 49,5%.

O tema educação gerou o maior grau de interesse, com 358 propostas submetidas. Em seguida vieram renda (131), meio ambiente (114) e saúde (93). Aqueles que receberam um menor número de inscritos foram: alimentação (33), água (30), habitação (15) e energia (8).

A região Sudeste se destacou pelo número de projetos enviados: 300. Apenas de São Paulo foram 165. Minas Gerais teve 82 propostas submetidas e o Rio de Janeiro, 53. Na região Nordeste, os destaques foram para Pernambuco, com 32, e Maranhão, com 18 concorrentes. Depois vêm Paraíba (14), Rio Grande do Norte (11), Sergipe (11) e Piauí (6).

Da região Norte marcaram presença Pará (21), Tocantins (8), Amazonas (7), Acre (4) e Rondônia (3). O Amapá enviou duas inscrições. O Centro-Oeste foi representado pelo Distrito Federal (31), Goiás (19), Mato Grosso (9) e Mato Grosso do Sul (4). No Sul, os estados participantes ficaram muito perto no ranking de inscrições. O Rio Grande do Sul com 67, Santa Catarina com 66 e o Paraná com 42.

Para o gerente de Parcerias, Articulações e Tecnologia Social da Fundação BB, Luis Fumio Iwata, o número recorde de inscrições representa o reconhecimento do prêmio junto a entidades ligadas ao terceiro setor e à responsabilidade social. O interesse no tema educação, segundo ele, se justifica pela grande demanda por soluções na área e o esforço das entidades em suprir o papel do Estado. As entidades das regiões Sul e Sudeste, por terem mais condições de articulação entre parceiros, ainda são responsáveis pelo maior número de inscrições. “Esta, no entanto, é uma realidade que tende a mudar, face ao engajamento das organizações do norte e nordeste”, avalia Fumio.

Realizado a cada dois anos, desde 2001, o Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social tem como objetivo identificar, certificar, premiar e difundir tecnologias já aplicadas, implementadas em âmbito local, regional ou nacional e efetivas na solução de questões relativas a água, alimentação, educação, energia, habitação, meio ambiente, renda e saúde.

O resultado final será conhecido em novembro e cada uma das oito instituições vencedoras receberá R$ 50 mil, nas categorias “Região Geográfica – N/NE/CO/SE/S”, “Aproveitamento/tratamento de rejeitos/resíduos/efluentes de processos produtivos”, “Direitos da Criança e do Adolescente” e “Gestão de Recursos Hídricos”. Os recursos devem ser destinados a atividades de expansão, aperfeiçoamento ou reaplicação da tecnologia social premiada.



No artigo

x