Sindicato dos Metroviários de SP prepara assembléia contra demissão

Entidade não aceita as 61 demissões anunciadas após a greve do metrô, e convoca assembléia

200 0

Entidade não aceita as 61 demissões anunciadas após a greve do metrô, e convoca assembléia

Por Redação

O governo do estado de São Paulo e a Companhia do Metropolitano de São Paulo (Metrô) anunciaram, na terça-feira, 7, a demissão de 61 funcionários em decorrência da greve dos dias 2 e 3.

O governador José Serra (PSDB) afirmou que “três greves em um único semestre é um abuso, não tem nada a ver com reivindicação e democracia”. Ele considerou abusiva e um “menosprezo à nossa população”. “Estamos adotando as medidas necessárias para que esses acontecimentos não se repitam”, completou.

Segundo o Sindicato dos Metroviários de São Paulo, três diretores da entidade e três trabalhadores inscritos em chapa para disputar as próximas eleições da entidade foram demitidos, o que torna a medida ilegal. A maioria absoluta dos demitidos possuírem mais de 15 anos de serviços prestados.

O Sindicato e a categoria não aceitaram as demissões e, com o objetivo de barrar “está retaliação, realizarão uma assembléia nesta quarta-feira, 8, às 18h30, na sede do Sindicato”.



No artigo

x