Reta final de mobilização nos estados para realização de Plebiscito

Preparação para a votação envolve formação de lideranças e de pessoas que promovam a distribuição de cédulas e urnas

164 0

Preparação para a votação envolve formação de lideranças e de pessoas que promovam a distribuição de cédulas e urnas

Por Redação 

A menos de um mês para o início da votação do Plebiscito Popular pela nulidade do leilão da Companhia Vale do Rio Doce, que será realizado entre os dias 1º e 7 de setembro, as mobilizações estão se intensificando por todos os 26 estados brasileiros e no Distrito Federal.

Só a Secretaria do Comitê Nacional de Campanha já enviou mais de 500 DVDs com o vídeo sobre o leilão da Vale para solicitantes. Em São Paulo, o Comitê estadual chegou a números próximos a esse. Além disso, o vídeo está disponibilizado no site de compartilhamento gratuito de vídeos “Youtube” e pode ser pego por todos os interessados. Cerca de 280 mil jornais também já foram reproduzidos. Esse número pode ser ainda maior, pois a Secretaria Nacional não tem contabilidade sobre as reproduções estaduais.

Como promover a votação A estrutura para a realização da votação pode ser montada por qualquer pessoa que tenha feito o processo de formação ou que se sinta preparada para fazê-lo. Segundo Rosilene Wansetto, integrante da Secretaria Nacional, não existe regra para quem pode ou quem não pode montar uma urna. Só é necessário cuidado com o armazenamento que pode ser feito em caixas ou sacolas, e com identificação de que é o processo do plebiscito.

As urnas podem ser montadas em ruas, praças, igrejas, escolas, locais de trabalho, sindicatos e não têm que ser fixas. A maioria delas, inclusive, não o será, embora em alguns lugares de maior circulação deve tentar-se deixá-las permanente entre 1º e 7 de setembro. O período de votação depende de cada Comitê local. Rosilene Wansetto sugere que se entre em contato com os comitês estaduais para saber onde terão urnas.

Podem participar da votação maiores de 16 anos apresentando qualquer documento de identificação. Os menores de 16 anos, portando documento, também podem expressar sua opinião, mas recomenda-se que o façam em uma urna separada.

(Com informações da Adital)



No artigo

x