Sem Lula, parte dos delegados pede Dirceu na mesa de abertura

Ex-deputado compareceu à primeira fila, mas não foi ao palco. Presidente só prestigia evento do partido neste sábado, 1º, pela manhã

172 0

Ex-deputado compareceu à primeira fila, mas não foi ao palco. Presidente só prestigia evento do partido neste sábado, 1º, pela manhã

Por Anselmo Massad

Depois de votados os textos-guia para os três eixos temáticos em discussão no Congresso do PT, o secretário-executivo do PT, Joaquim Soriano, convidou governadores, prefeitos, senadores, dirigentes de movimentos sociais, ministros e outros lideranças para compôr a mesa da solenidade de abertura do Congresso do PT.

Inicialmente, o evento deveria contar com a presença do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Durante a tarde, uma mudança de agenda foi anunciada, e a passagem pelo Congresso adiada para este sábado, 1º, pela manhã.

Depois de convocadas três fileiras de cadeiras no palco do principal salão no Centro de Exposições do Anhembi, uma delegada gritou:

– Falta o Zé Dirceu!

Em seguida uma parte da platéia, formada por delegados do partido, começou a gritar o nome do ex-deputado, cassado em 2005 e cujo processo foi aceito pelo Supremo Tribunal Federal (STF) na semana passada.

Ainda em meio aos gritos, um constrangido Arlindo Chinaglia, presidente da Câmara dos Deputados assumiu o microfone para seu discurso. O embaraço foi contornado e Dirceu não se moveu da cadeira. Enquanto os vários petistas ilustres falavam, o ex-ministro foi convidado a assinar pelo menos quatro propostas de emendas. Ele é um dos 931 delegados eleitos nas etapas municipais e estaduais do congresso.



No artigo

x