Mais politizada, Parada do Orgulho Gay é sucesso novamente

Neste ano, o tema da parada foi ‘Sem Homofobia, Mais Cidadania Pela Isonomia dos Direitos!‘, uma forma de realizar uma campanha a favor da aprovação do projeto que criminaliza a homofobia

180 2

Neste ano, o tema da parada foi ‘Sem Homofobia, Mais Cidadania Pela Isonomia dos Direitos!‘, uma forma de realizar uma campanha a favor da aprovação do projeto que criminaliza a homofobia

Por Redação

A festa levou às ruas não só casais gays e ativistas dos direitos homossexuais, como famílias inteiras. ‘‘Lá de cima (dos trios), eu só vejo gente feliz, alegre, linda‘‘, elogiou Manoel.

Segundo ele, o número final de quantas pessoas participaram da edição 2009 só será fechado e divulgado durante a semana. A estimativa da Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP-SP) era de que cerca de 3 milhões de pessoas deveriam prestigiar o evento. Mas mesmo a imprensa GLBT registrou que a parada deste ano foi menor que a de anos anteriores.

Neste ano, o tema da parada foi ‘Sem Homofobia, Mais Cidadania Pela Isonomia dos Direitos!‘. De acordo com os organizadores, a escolha do tema é uma forma de realizar uma campanha a favor da aprovação do projeto que está em trâmite no Congresso um projeto de lei ( PLC 122 ) que transformaria a homofobia em crime e prevê penas para pessoas com comportamentos ou atitudes homofóbicas.

No total, 20 trios foram escalados para animar os foliões. Um deles, porém, trocou o ritmo musical por ações de cidadania e colheu assinaturas pelo PLC 122. Nos outros 19 trios, música de DJs famosos, go go boys e go go girls, além de bailarinos e celebridades. Nomes como o da ex-dançarina Sheila Mello, do ex-BBB Jean Wyllys e até de políticos, como a ex-prefeita da cidade Marta Suplicy, que marca presença em todos os anos.

O site Mix Brasil avaliou que a ausência de trios elétricos ligados às boates gays fez falta na Parada. ‘‘Entre os trios elétricos que desfilaram pela Parada Gay neste domingo, nenhum foi montado pelos clubes da cidade. Quinze deles eram responsabilidades de ONGs. Os outros quatro vieram de empresas: o do site Disponível; da drag Salete Campari, do Hotel 155 e do Guia de Bolso. Não à toa, estes quatro trios eram de longe os melhores da Avenida. O trio do Disponível esteve o mais animado entre todos _e foi o que mais atriu pessoas. Com experiência na montagem de trios, o Disponível ganhou destaque com um som bem equalizado, trilha bem feita para o público, além de gogo-boys e drags fazendo festa com o povo nos palcos baixos do poderoso trio Demolidor, alugado pelo site. O trio da drag Salete Campari também esteve bastante animado. Os outros dois particulares _155 e Guia de Bolso_ passaram pela primeira vez na avenida‘‘, registrou o site.

‘‘Já entre as ONGs… O trio da CUT fez mais da metade de seu percurso desligado. Uma pena. Nos outros ou o som estava mal equalizado ou a trilha não empolgava a avenida. Ou os dois. Os outros trios de ONGs e sindicatos, apesar de esforçados, não possuem expertise para levantar uma multidão deste tamanho. E nem deveriam ter. Até no ano passado, os trios de ONGs vinham intercalados com os de clubes e sites, facilitanto a animação do público. Neste ano, com apenas quatro trios de empresas, foi impossível esse intercalamento. O resultado estava claro na avenida: uma Parada mais desanimada que nos anos anteriores. Além do mais, o melhor dos trios, mais caro e bem produzido (do Disponível) veio na terceira posição, lá na frente, e encerrou seu percurso perto das 15h. Se estivesse entre os últimos, arrastaria uma multidão consigo. Uma pena‘‘.

A grande imprensa registrou de forma negativa a Parada deste ano. Para jornais como Estadão, Folha e Globo, a parada foi marcada por tumultos, furtos e agressões. A Polícia Militar informou a prisão de duas pessoas vendendo entorpecentes, momentos de empurra-empurra e 190 atendimentos de pessoas feridas. No mais grave, um jovem foi ferido a facadas.

A cidade recebeu no fim de semana cerca de 400 mil turistas, 5% deles estrangeiros, e que deixaram para os cofres do setor cerca de R$ 200 milhões, segundo dados da SPTuris.

Por Vermelho.org.

Fotos por Marília Melhado. Veja mais.



No artigo

2 comments

  1. Katiane

    Politizada? Ao contrário, cada vez menos politizada É só circular pela massa para perceber que a Parada é cada vez mais um evento comercial, tão deturpado quanto o Carnaval. Talvez um pouco de política ainda permeie o início da manifestação, enquanto as pessoas ainda não estão alienadas com álcool, drogas e violência.

  2. Katiane

    Politizada? Ao contrário, cada vez menos politizada É só circular pela massa para perceber que a Parada é cada vez mais um evento comercial, tão deturpado quanto o Carnaval. Talvez um pouco de política ainda permeie o início da manifestação, enquanto as pessoas ainda não estão alienadas com álcool, drogas e violência.

Comments are closed.


x