Começa o I Encontro Internacional dos Atingidos pela Vale

De 12 a 15 deste mês, membros de movimentos sociais, sindicatos, organizações e comunidades impactadas pelas obras da empresa mineradora Vale estarão reunidas no Rio de Janeiro

140 0

De 12 a 15 deste mês, membros de movimentos sociais, sindicatos, organizações e comunidades impactadas pelas obras da empresa mineradora Vale estarão reunidas no Rio de Janeiro

Por Natasha Pitts

De 12 a 15 deste mês, membros de movimentos sociais, sindicatos, organizações e comunidades impactadas pelas obras da empresa mineradora Vale estarão reunidas no Rio de Janeiro, para trocar experiências e tornar mais numerosa e eficaz a luta contra as ações da companhia, que gera impactos sócio-ambientais e viola os direitos humanos de inúmeras populações. Estarão no ‘I Encontro Internacional dos Atingidos pela Vale’ representantes do Brasil, Moçambique, Canadá, Peru e Chile.

De acordo com o padre Dario Bossi, membro da coordenação da Campanha “Justiça nos Trilhos”, uma das apoiadoras do I Encontro, o evento reúne vários objetivos.

“O primeiro é a construção de alianças baseadas nas reivindicações comuns. Também serão fortalecidas as lutas dos atingidos pela Vale e dada visibilidade aos conflitos gerados em várias localidades. Neste mesmo sentido, buscaremos afunilar as ações em conjunto para tornar nossa luta mais forte e buscar encaminhamentos para denunciar ações da empresa. Será gerado ainda um espaço para troca de experiências que deram certo”, enumera.

Grande parte das comunidades afetadas pelas ações da Vale começaram a se organizar para divulgar os prejuízos e violações aos direitos humanos que vem sofrendo, assim como as lutas e eventos de combate às ações da transnacional. Esta articulação gerou e ainda têm gerado uma diversidade de materiais impressos, informativos, blogs e outras formas de denúncia.

“As comunidades vão levar os materiais que estão produzindo e trocar. Com isso, queremos também furar a mídia que é favorável e conivente às ações da Vale, que não denuncia e divulga a situação enfrentada por populações do Brasil, do Chile, do Peru, de Moçambique e de vários outros lugares”, esclarece padre Dario.

Os momentos fechados do Encontro deverão concentrar cerca de 150 participantes, já os abertos devem agregar uma quantidade superior. Após a abertura do Encontro, que será realizada na Baía de Sepetiba, estão previstas até quinta-feira atividades, como sessão de vídeos e documentários, intervenções artísticas e culturais e o lançamento do dossiê “Impactos e Violações da Vale no Mundo 2010”.

A programação do I Encontro Internacional também prevê uma reunião entre lideranças nacionais e internacionais com representantes da Vale. Para padre Dario, este momento de enfrentamento direto entre manifestantes e representantes da Vale, durante a Assembleia dos Acionistas, será uma oportunidade para analisar as estratégias da Vale, pensar como combatê-las e desmontá-las.

O I Encontro Internacional dos Atingidos pela Vale será encerrado com um ato em frente à sede da empresa, localizada na rua Graça Aranha, número 26.

A previsão é que o Encontro seja replicado nos próximos anos em outras cidades afetadas.

Prejuízos

Os danos causados pelas atividades da Vale nos cinco continentes são numerosos e vão desde a contaminação de água potável até a destruição da biodiversidade. No Brasil, a população sofre com a poluição e a expulsão de suas terras. Na Argentina, um projeto de potássio ameaça secar o rio Colorado, que abastece toda a região de Mendoza. No Canadá, os trabalhadores estão há nove meses em greve contra a tentativa da empresa de negar direitos adquiridos pela classe. Moçambique, Peru e Chile também sofrem com as ameaças à biodiversidade e às terras de camponeses e indígenas.

Com informações da Adital



No artigo

x