Vencedor de leilão de Belo Monte cobrará R$ 77,97 por MWh

Consórcio vencedor do leilão ocorrido hoje é formado por nove empresas e venderá a energia a um preço 6% menor que o teto estabelecido

225 1

Consórcio vencedor do leilão ocorrido hoje é formado por nove empresas e venderá a energia a um preço 6% menor que o teto estabelecido

Por Redação

O leilão para o consórcio de empresas que vai construir e administrar a hidrelétrica de Belo Monte, no alto do rio Xingu, ocorreu após duas liminares de suspensão e críticas que chegaram à comunidade internacional. O Consórcio Norte Energia, vencedor do leilão, é formado por nove empresas, sendo oito privadas e uma, a Chesf, estatal. O leilão, que durou sete minutos, foi encerrado na primeira fase com o preço de R$ 77,97 por Megawatt-hora (R$/MWh). O teto era de R$ 83 MWh.

A proposta do Consórcio Norte Energia foi 5% menor que a proposta do Consórcio Belo Monte Energia, que também concorria. O leilão só pode acontecer após o TRF 1ª Região (Tribunal Regional Federal) derrubar a liminar do juiz federal Antonio Carlos Almeida Campelo, da subseção de Altamira (PA) expedida na tarde de ontem, 19. Campelo foi o mesmo juiz que havia expedido a outra liminar que suspendia o leilão de Belo Monte no dia 8 de abril. Na última liminar, o juiz contestava pontos do licenciamento ambiental aprovado em fevereiro pelo Ibama.

O Consórcio vencedor é composto pela estatal Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf) e pelas privadas Construtora Queiroz Galvão S/A, Galvão Engenharia S/A, Mendes Junior Trading Engenharia S/A, Serveng-Civilsan S/A, J Malucelli, Construtora de Obras S/A, Contern Construções e Comércio Ltda, Cetenco Engenharia S/A e Gaia Energia e Participações. As oito empresas privadas terão participação de 50,02% no grupo. A estatal Eletronorte não participou do leilão, mas se associará ao consórcio vencedor com participação de 30% a 35% nos resultados.

O Banco Nacional de Desenvolvimento (BNDES) poderá dar um aporte de até 80% no valor da construção da hidrelétrica, e abrirá um prazo de até 30 anos de financiamento. O valor estimado da construção é de R$ 19 bilhões, e atualmente o banco pode emprestar R$13,5 bi por dia. O início da geração de energia está previsto para fevereiro de 2015.

A usina hidrelétrica de Belo Monte terá capacidade de produzir 11.233,1 MW (megawatts), ocupará 516 quilômetros quadrados e será a segunda maior hidrelétrica do país e a terceira maior hidrelétrica do mundo a partir de 2016.

Mobilização
Os movimentos sociais e indígenas que tem se colocado contra a construção da barragem no Alto Xingu realizaram hoje, 20, diversos protestos em sete capitais do país e em Brasília. O Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) calcula que com a construção do projeto, 24 aldeias de povos indígenas serão prejudicadas.

A proposta de construção da hidrelétrica de Belo Monte vem desde a década de 1980, ainda na época do governo militar, e foi recolocada em pauta pelo governo Lula dentro do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

Com informações da ANEEL, de agências e do MAB.



No artigo

1 comment

  1. Caligá

    A Revista Fórum precisa nos brindar com uma reportagem que coloque os pontos fortes e os fracos da construção da Usina de Belo Monte. fazendo isso totalmente imparcial. Precisamos tomar partido com argumentos seguros. Grande parte da população ainda tem sérias dúvidas sobre essa consrução.

Comments are closed.


x