A essência é o humano

Editorial Por   A ordem dos fatores não altera o produto. Mario Maia, Carlito Lago, Aloysio de Grammont, Julinho Biondi… Podem ser ainda outros nomes. Cláudio Mamberti,...

271 0

Editorial

Por

 

A ordem dos fatores não altera o produto. Mario Maia, Carlito Lago, Aloysio de Grammont, Julinho Biondi… Podem ser ainda outros nomes. Cláudio Mamberti, Élcio Santana, Elisa Gago, João Amazonas. Gente que vai. Fica. Sonha e realiza. Éticos. Belos.
Pode ser piegas, brega, tolo, mas bom seria se pudéssemos contá-los aos milhões. São necessários homens e mulheres assim (e às pencas) para construir um outro mundo. O desejável.
Não tem jeito. Justiça precisa de justos. Solidariedade de solidários. Decência de decentes. Honestidade de honestos. Bondade de bondosos. Ou: decência de honestos; justiça de bondosos; solidariedade de decentes; Bondade de justos… É fogo, mas é assim. Ou então muda-se assim-assado. Sem mudar.
Se há concordância que a essência é o humano, as pessoas, é preciso saber que a transformação passa por todos. E cada um.
Aí é que vale o exemplo de Mário Lago e Carlito Maia. De tipos que brilham para além de si. Que tornam a humanidade mais humana. Que fazem a gente remoer de saudades e se maravilhar com lembranças. Que são fiadores da esperança de um outro futuro possível. Do sonho que se atinge com luta, mas, fundamentalmente, com dignidade.



No artigo

x