Há disputa de projetos

Editorial Por   Pela primeira vez na história um partido de esquerda é majoritário no governo central brasileiro. Principalmente por isso a eleição de Lula foi uma...

213 0

Editorial

Por

 

Pela primeira vez na história um partido de esquerda é majoritário no governo central brasileiro. Principalmente por isso a eleição de Lula foi uma virada histórica. Agora, em 2004, será a virada do primeiro ano e parte significativa dos que apostaram e colaboraram para a vitória desse projeto imaginam que é o momento de uma virada ainda mais importante, a da construção um outro modelo macro-econômico.
É certo que esse desafio tem de ser enfrentado pelos aliados que estão no governo. Mas construí-lo não é só tarefa deles. Para que se possa superar o ciclo neoliberal no Brasil, a sociedade civil terá papel fundamental. Suas demandas devem apontar para esse novo caminho, afirmando essa opção como estratégica.

Entre outras questões, duas se destacam. A primeira diz respeito à gestação de um modelo de produção mais independente, nacionalizado e que de fato distribua renda. O apoio ao cooperativismo e a uma reforma agrária mais ampla pode ser a senha para que isso comece a se estabelecer. A outra é a de como iniciar o processo de libertação dos limites que os organismos internacionais impõe, dentre eles, a liberalização total do fluxo de capitais e o respeito a contratos que levam o país a gastar mais para pagar metade dos juros de sua dívida do que com investimentos em quase todas as áreas sociais.

Para chegar a isso, será preciso muita coragem, ousadia e articulação política. Sindicatos, ongs, movimentos populares e outros atores sociais devem assumir essa disputa para que se fortaleça no governo o setor que defende essas idéias. Até porque, ele existe. E isso também acontece pela primeira vez na história.



No artigo

x