Um Fio de Esperança Por: Fausto Wolff

Um Fio de Esperança Por Fausto Wolff   Se fisicamente vamos mal, moralmente estamos muito parecidos com os escombros de Nova Orleans. É tempo de reconhecer verdades....

257 0

Um Fio de Esperança

Por Fausto Wolff

 

Se fisicamente vamos mal, moralmente estamos muito parecidos com os escombros de Nova Orleans. É tempo de reconhecer verdades. É duro, mas as coisas só melhorarão quando ladrões, corruptos e corruptores derem um passo a frente e disseram: “Eu roubei, eu menti, eu trai o meu país e os meus eleitores”. Uma temporada na cadeia não lhes fará mal como bem pode dizer Paulo Maluf. Jamais dirá que errou, mas é o único reacionário que pode exclamar “Peguei cana!”.
O mais irônico é que isso não é novo e já era esperado, pois se trata da velha crise do sistema político institucional brasileiro potencializado pela “religião” neoliberal, pela natureza anti-democrática do nosso sistema eleitoral e pelo saque contínuo ao patrimônio público.
Não são os socialistas que estão felizes com esta situação. Quem está dando cambalhotas de alegria é a burguesia que já abocanhou os ministérios da Saúde, Minas e Energia e das Cidades. Outros virão. O próximo passo será a retomada da “reforma sindical” com a flexibilização dos direitos dos trabalhadores (os que restam) e o enfraquecimento dos sindicatos, tudo contestado pela FIESP, pela CUT e pelo Ministério do Trabalho. Dizem que a situação é transparente, mas experimentem pedir a quebra de sigilo dos fundos de pensão.
Com um pouco de distanciamento crítico veremos que as peças do quebra-cabeça se encaixam direitinho. Em verdade a lama ainda não enterrou também partidos como o PFL e o PSDB – a hipocrisia transformada em moralidade – porque as investigações se restringem apenas a um dos esquemas corruptos de financiamento eleitoral.
Nós que não queremos morrer sem ver a liberdade raiar no horizonte do Brasil temos de nos acautelar com o pacto das elites que vem se configurando com PT-PSDB-PFL na liderança. Pizza gigantesca cuja superfície é impossível ultrapassar. O PT fará qualquer negócio com a direita para preservar o que sobrou da sua imagem. A primeira manobra revisionista será uma improvisada reforma política – em menos de dois meses – e sem a participação popular. Alguém tem dúvida de que a burguesia está doidinha para retomar o processo de privatização, aproveitando-se do fato de que algumas estatais foram denunciadas?
Um dos poucos saldos positivos da crise é o fato das CPIs estarem entre os programas televisivos de maior audiência. Desempregados do Brasil inteiro, graças à nossa política econômica direcionada por Washington, passam as tardes se divertindo com as CPIs na televisão onde o poder parlamentar se expõe de forma quase pornográfica. Deixem os políticos se exibirem: o povo está olhando e já entendeu que nossa democracia o exclui do processo. Só se elegem os ricos e os que têm alguma popularidade em outro setor como artes e esportes. Um homem realmente honesto dificilmente terá condições de sustentar uma campanha para o Congresso. Um homem honesto não pode aceitar caixa dois e portanto não se elege. Algumas cabeças serão cortadas como a de inocentes úteis como Delúbio Soares ou culpados descartáveis como Severino Cavalcanti. Para cada porquinho descartado sobrarão impunemente e serão candidatos nas próximas eleições pelo menos mil javalis sedentos de poder e dinheiro.
Quanto a Lula é inegável que se trata de uma personagem absolutamente singular. Se eu disser que ele nada tem a ver com o escândalo estou chamando-o no mínimo de Chance Gardner, o jardineiro imbecil criado por Jerzy Kosinski estrelado no cinema pelo falecido Peter Sellers e que quase chega à presidência dos Estados Unidos. Por outro lado, as provas de dolo não são suficientes para um pedido de impedimento. Ao ver Abi Ackel como relator de uma comissão parlamentar de inquérito, não sei se rio ou se choro enquanto me pergunto: que moral tem esse congresso para pedir o impeachment de Lula? Nova Constituinte? Reforma Política? Impedimento? Isso só dizendo a verdade ao povo para depois consultá-lo diretamente: plebiscito revogatório na forma de eleições antecipadas. Para que as pessoas decentes deste país – a maioria dos brasileiros – consigam ter algum êxito, é preciso: 1) que a esquerda se una; 2) que todos os políticos corruptos e todos os corruptores sejam penalizados com prisão; 3) que sejam reabertas as investigações sobre as privatizações do governo FHC.
Então, sim, talvez, um fio de esperança.



No artigo

x