Dia Internacional pela Eliminação da Violência Contra as Mulheres

Foto: Lúcio Távora/ Agência A Tarde. Fonte: Blogueiras Feministas Este post é uma contribuição à...

639 0
Foto: Lúcio Távora/ Agência A Tarde. Fonte: Blogueiras Feministas

Este post é uma contribuição à blogagem coletiva organizada por Blogueiras Feministas para o 25 de novembro, Dia Internacional pela Eliminação da Violência Contra as Mulheres, data que honra a memória de Patria, Minerva e Maria Tereza Mirabal, dominicanas líderes da luta contra Trujillo e assassinadas a mando do ditador. Ao longo do dia, uma série de blogs linkarão para o Blogueiras Feministas e, no Twitter, os posts serão divulgados com a tag #FimdaViolênciaContraMulher. Haverá manifestações em diversas cidades brasileiras e, via Cynthia Semíramis, deixo às conterrâneas e conterrâneos as coordenadas da reunião de Belo Horizonte: ela acontece às 15 horas, em frente ao Tribunal de Justiça-MG, ali na Afonso Pena, 1420, pertinho do Palácio das Artes. Em Porto Alegre, haverá um flashmob a partir das 11h, no Largo Glênio Peres, em frente ao Mercado Público. O meu antigo blog, o Biscoito Fino e a Massa, começou a participar desta conversa em 2005 e pretendo continuar a tradição aqui na Fórum.

……………

Maria Benedito de Morais foi morta a golpes de enxada pelo marido.

……………

Os números da violência contra a mulher continuam assustadores. A cada dia, uma mulher é assassinada pelo seu (ex)-companheiro no Brasil. 70% das mulheres vítimas de assassinato no mundo são mortas por (ex)-maridos ou namorados. Segundo a Unesco, uma em cada três meninas é abusada sexualmente antes de completar 18 anos. Pesquisas realizadas pela Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres revelam que 43% das mulheres brasileiras já sofreram violência conjugal de algum tipo, incluindo-se aí o estupro. Em números absolutos, o Brasil é o país onde mais se matam mulheres no mundo: são 50.000 assassinadas a cada ano.

……………

Rozeli Beutler foi morta a tiros pelo marido quando amamentava o filho do casal.

……………

As denúncias que chegam às Delegacias de Mulheres anualmente no Brasil contam-se às centenas de milhares, e não se exige muita imaginação para supor que isso é só uma mínima fração da violência realmente existente. Uma pesquisa de 2011 da Fundação Perseu Abramo revela que, a cada ano, são mais de 2 milhões de mulheres agredidas no Brasil. A cada 15 segundos, uma mulher é agredida no país. A cada duas horas, uma mulher é assassinada. Uma pesquisa do Banco Interamericano de Desenvolvimento, de 1998, mostra que uma de cada cinco faltas ao trabalho por parte das mulheres se deve à violência doméstica. Os números da violência contra a mulher são daquelas coisas que, olhadas de perto, parecem mentira.

……………

Tatiana Cristina Rodrigues Jacaúna foi morta a marretadas pelo ex-marido.

……………

O blog Quem o Machismo Matou Hoje? vem registrando, desde o começo do ano, uma parte das notícias, e elas são estarrecedoras: os assassinatos por ex-namorados ou maridos são realidade cotidiana, as torturas dos enciumados em busca de senhas de Facebook, Twitter ou email são cada vez mais constantes, os cárceres privados são uma venerável tradição nacional e até mesmo o envenenamento por puro ciúme é notícia comumente lida. Se você é homem e nunca passeou pelos arquivos do “Machismo mata”, hoje é o dia.

……………

Francisca Januária dos Santos Sousa foi assassinada a tiros pelo marido.

……………

O 25 de novembro é uma data de mobilização das mulheres mas também é, ou deveria ser, data de um longo autoexame de nós, homens, na frente do espelho. Como já disse Leonardo Sakamoto, cada homem é um inimigo da igualdade até que ele seja educado para o contrário. E essa educação é tarefa para ser reinventada a cada dia. Este blogue reitera o seu apoio à mobilização das mulheres e a disposição de reaprender cotidianamente a solidariedade. Parabenizando as Blogueiras Feministas pela iniciativa, deixo o link para o clipe “Quem ama abraça”, feito para este 25 novembro pela REDEH — Rede de Desenvolvimento Humano e o IMM — Instituto Magna Mater.

……………

Maria Conceição foi assassinada a facadas pelo marido.



No artigo

x