Mega Não produz vídeo contra censura de conteúdo na internet

O Movimento Mega Não fez um vídeo-montagem em defesa da liberdade na internet. O Mega Não reúne ativistas que lutam contra a censura de conteúdos na rede. Durante o Festival de Cultura Digital,...

318 3

O Movimento Mega Não fez um vídeo-montagem em defesa da liberdade na internet. O Mega Não reúne ativistas que lutam contra a censura de conteúdos na rede.

Durante o Festival de Cultura Digital, que ocorreu no Rio de Janeiro, na semana passada, eles fizeram uma ação com cartazes contra o SOPA (Stop Online Piracy Act, projeto de lei dos Estados Unidos que dá poder às indústrias de copy right controlar o conteúdo da internet), ACTA (Acordo Comercial Anticontrafação), o AI-5 Digital (PL 84/99, patrocinado pelo Deputado Eduardo Azeredo) e a quebra da neutralidade na rede.

Se projetos como esses forem aprovados, atividades como troca de arquivos, peer-to-peer e o uso honesto de trabalhos com copyright, como postagens em um blog pessoal, poderão ser crimes. Ou seja, a internet deixará de ser como a conhecemos hoje.

Leia também:
A nova sociedade do compartilhamento



No artigo

3 comments

  1. Arlindo Responder

    Esse assunto é mais complexo que isso, Adriana: por esses dias, houve uma pessoa em uma rede social destilando ódio (novamente) contra nordestinos. Ao checar o caso, a polícia federal descobriu que o perfil era falso e que usaram inclusive fotos de uma modelo curitibana. A pessoa que assinava como ‘Sophia Fernandes’ talvez seja outra. A fala é ofensiva e pesada (entre outras, diz que nordestino não nasce, é c.gado). Em outro post, uma catarinense, essa com nome e sobrenome aparentemente reais, faz o mesmo tipo de colocação, dizendo que têm que matar os nordestinos, esses ‘FDP’ (no dizer dela). Seu nome é Nataly Sudbrack, que em conversa com Marcus Vinícius Simielli expressa essas idéias. Buscando seu nome no Google, se vê que há uma pessoa real com esse nome que trabalha em uma agência de comunicação em Camboriú. Se não for outro caso de perfil roubado ou montado, é muito grave. Não há queixa, ainda, que eu saiba, contra ela. O caso repete o de Mayara Petruso que declarava pra quem quisese ler que tinham que fazer um favor a SP matando um nordestino por dia. Internet sem qualquer tipo de controle pode gerar isso. Não sei o que é pior: hoje podem hackear teu computador com facilidade, graças à desregulamentação da rede, além de espalhar injúrias e boatos à larga. No mínimo um controle de acesso tem que existir. No caso de lan-houses e cybercafés, o dono do estabelecimento é o responsável, pois deveria exigir um documento de quem aluga cada máquina em cada período. De outro modo, a liberdade da internet vira impunidade da internet. Esse papo de 99% do pessoal do Ocupsol é caô … (como um grupo pequeno pode querer falar em nome de 99%, mesmo que com boas intenções? Apropriação da fala?).

    1. Fernando Responder

      Arlindo, com todo respeito, acho que vc tá embarcando em um discurso furadíssimo. Por duas razões: primeiramente, criar restrições ao uso da internet dificilmente serviria para limitar comunicações nocivas. Veja o exemplo da televisão, de veiculação restrita a poucos grupo e que diariamente apresenta piadas homofóbicas, por exemplo. Segundo, limitar a divulgação de material protegido por direito autoral não vai de nenhuma forma atingir a natureza do que internautas apresentam nos foros abertos. Na minha opinião, se a sociedade pretende relativisar o direito a privacidade dos cidadãos com o sentido de coibir, previnir e identificar crimes, a internet é um espaço secundário. Comecemos a devassa pelos sigilos fiscal e financeiro que já vai ter crime prá mais de século.

  2. Arlindo Responder

    Fernando, com todo respeito, discordo. Se a tv fizer reportagem na qual você se sinta caluniado, ofendido ou injuriado, pode recorrer e até pedir indenização. No caso da internet anônima, isso não é possível. Quanto aos direitos autorais, eles são importantes, estão previstos na Constituição, mas são usurpados diariamente na internet: quem não depende da sua criação intelectual e artística pra sobreviver pode achar que está tudo bem, mas não está.


x