Pinheirinho: cenário de guerra em desocupação violenta

Mesmo com decisão judicial federal em contrário, PM expulsa milhares de moradores de área que pertence a Naji Nahas

336 0

Mesmo com decisão judicial federal em contrário, PM expulsa milhares de moradores de área que pertence a Naji Nahas

Por Adriana Delorenzo 

Cerca de 2 mil famílias, aproximadamente 10 mil pessoas, que ocupavam um terreno abandonado desde 2004, foram expulsas violentamente neste domingo, 22. A área, na cidade de São José dos Campos (SP), pertence ao empresário Naji Nahas, e a comunidade vinha requerendo o direito a permanecer no local. Na sexta-feira, 20, decisão do Tribunal Regional Federal da 3ª Região, do desembargador Antonio Cedenho, suspendeu a ordem de reintegração de posse da ocupação.

Mesmo com a decisão federal, a polícia militar realizou a desocupação com forte aparato, com helicópteros, blindados, armas, bombas de gás e pimenta, a mando do governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, e do prefeito da cidade, Eduardo Cury, também do PSDB. A ação foi acompanhada pelo juiz do TJ paulista, Rodrigo Capez, irmão do deputado estadual tucano Fernando Capez.

O senador Eduardo Suplicy (PT), os deputados Paulo Teixeira (PT) e Ivan Valente (PSOL) e o presidente do PSTU, Zé Maria, tentaram entrar na área e negociar uma solução pacífica, porém foram impedidos. O senador teria telefonado para o governador do estado que afirmou que seguiria decisão da justiça paulista.

No momento, o clima é de tensão. Foram montadas tendas para que a população seja cadastrada. Segundo informações de pessoas que estão no local, o cenário é similar ao de um campo de refugiados, com crianças, cachorros, botijões de gás, senhoras chorando. O clima é de desespero entre os moradores.

Uma série de protestos tem sido chamado pelo país. No momento, acontece um ato na Av. Paulista, com concentração em frente ao MASP, onde já estão mais de 100 pessoas. Nesta segunda-feira, 23, estão sendo convocadas manifestações em Porto Alegre, Rio de Janeiro, Belém e Fortaleza.

Atualizado às 17h34.



No artigo

x