Organização ambiental denuncia contaminação de empresal estatal

A organização não governamental (ong) Greenpeace denunciou ontem, 16, no relatório relatório “Ciclo do Perigo – Impactos da Produção de Combustível Nuclear no Brasil”, que há contaminação da água por urânio na cidade de...

165 0

A organização não governamental (ong) Greenpeace denunciou ontem, 16, no relatório relatório “Ciclo do Perigo – Impactos da Produção de Combustível Nuclear no Brasil”, que há contaminação da água por urânio na cidade de Caetité, na Bahia, por Urânio. Segundo o documento, os municípios do sertão baiano estão sofrendo com os “nocivos impactos” causados pelas operações na usina de urânio de Caetité, gerenciada pelas Indústrias Nucleares do Brasil (INB).

A INB é uma estatal responsável pela extração e produção do yellow cake, uma espécie de concentrado de urânio, gerador do combustível para as usinas nucleares do país.
De acordo com o Greenpeace, a água que as comunidades locais estão utilizando para beber apresenta contaminação por urânio acima dos índices máximos estabelecidos pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e pelo Conselho Nacional de Meio Ambiente (Conama). Em uma das amostras, a concentração de urânio era sete vezes maior do que o limite da OMS, estabelecido em 0,015 miligrama por litro.

A organização e outras entidades sociais e ambientais da Bahia encaminharam a denúncia ao Ministério Público Federal da Bahia, exigindo a realização de investigação independente sobre a fonte e extensão da contaminação, bem como as condições de operação da INB e o cumprimento das condicionantes dispostas no licenciamento ambiental. A organização também solicitou ao INGA – Instituto de Gestão das Águas, do governo da Bahia, que suspenda as outorgas de água concedidas à INB até que a contaminação seja solucionada.

Saiba mais sobre o assunto aqui e acesse o relatório “Ciclo do Perigo – Impactos da Produção de Combustível Nuclear no Brasil”.



No artigo

x