Uribe reconhece que polícia atirou durante manifestação indígena

O presidente colombiano, Álvaro Uribe, reconheceu hoje, 23, que um policial disparou sua arma nos confusos incidentes protagonizados por indígenas no sudoeste do país, mas rejeitou que os tiros tivessem matado qualquer aborígine. "A Polícia...

106 0

O presidente colombiano, Álvaro Uribe, reconheceu hoje, 23, que um policial disparou sua arma nos confusos incidentes protagonizados por indígenas no sudoeste do país, mas rejeitou que os tiros tivessem matado qualquer aborígine.

"A Polícia realmente disparou (…) mas os indígenas que morreram, perderam a vida, com foi atestado pelo Instituto Médico Legal, por causa dos explosivos detonados pelos terroristas infiltrados nas manifestações", disse Uribe.

A declaração do governante foi motivada por um vídeo amador divulgado pela "CNN" no qual um policial disparou ontem durante as manifestações contra um alvo que não é identificado na gravação.

Duas pessoas morreram durante a grande marcha indígena, e os nativos afirmam que seus companheiros perderam a vida por causa dos disparos da Polícia.

Cerca de 10 mil aborígines partiram ontem do departamento do Cauca em direção a Cali, no Valle del Cauca, em protesto contra os crimes contra as minorias étnicas e para reivindicar suas terras ancestrais.

Uribe disse que o policial que disparou a arma admitiu hoje a seus superiores, mas alegou que atirou para o ar, para dissuadir manifestantes que lhes atiravam artefatos explosivos de baixo poder de destruição.

Assista a declaração de Uribe sobre os tiros que mataram dois indígenas

Leia também

Na Colômbia, marcha indígena tem dois mortos
Povos originários marcham pela posse da terra expropriada. Polícia colombiana nega ter provocado a morte de dois indígenas



No artigo

x