Amorim diz que ação contra embaixada em Honduras é intolerável

O minsitro das Relações Exteriores do Brasil, Celso Amorim, declarou que o pais não tolerará atos contra a embaixada brasilera em Tegucigalpa, que abriga o presidente legítimo de Honduras, Manuel Zelaya, que retornou ao território hondurenho na última segunda-feira, 21.  "As informações vindas de Honduras...

160 0

O minsitro das Relações Exteriores do Brasil, Celso Amorim, declarou que o pais não tolerará atos contra a embaixada brasilera em Tegucigalpa, que abriga o presidente legítimo de Honduras, Manuel Zelaya, que retornou ao território hondurenho na última segunda-feira, 21. 

"As informações vindas de Honduras são extremamente graves", observou o chanceler, em relação ao fato de a polícia hondurenha ter usado gás lacrimogêneo contra manifestantes pró-Zelaya. Ao menos duas bombas caíram dentro do terreno da embaixada, de acordo com notícias da agência Reuters. 

O  Brasilconsidera enviar uma carta ao presidente do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU), pedindo uma reunião para tratar da situação em Honduras e sobre a segurança da equipe responsável pela diplomacia brasileira em Honduras.

"Nossa preocupação é com a segurança, de Zelaya e a nossa", falou Amorim, em Nova York, onde participará da Assembleia Geral da ONU.

"Qualquer ação violatória da nossa missão diplomática é intolerável", acrescentou, afirmando que manteve contato com o governo de Roberto Micheletti.  

Aproximadamente 70 pessoas que estão na embaixada têm dificuldades de voltar para casa pela violência nas ruas e pelo toque de recolher decretado pelo governo golpísta. 



No artigo

x