Arrancada de Kassab e Gabeira surpreendem em São Paulo e no Rio

Nas duas maiores cidades do país, a eleição do futuro prefeito ocorrerá em segundo turno. O destaque do primeiro turno foi a arrancada de candidatos que disputam o cargo. A maior supresa aconteceu em...

122 0

Nas duas maiores cidades do país, a eleição do futuro prefeito ocorrerá em segundo turno. O destaque do primeiro turno foi a arrancada de candidatos que disputam o cargo. A maior supresa aconteceu em São Paulo, onde o atual prefeito Gilberto Kassab (DEM) aparecia em segundo lugar nas pesquisas, inclusive na boca-de-urna, mas esteve na frente durante toda a contagem dos votos. Terminou com cerca de 52 mil votos à frente.

Já Fernando Gabeira (PV) era o terceiro colocado na pesquisa Ibope de sábado e segundo no Datafolha. Na boca-de-urna já despontava como concorrente ao cargo de prefeito do Rio de Janeiro junto de Eduardo Paes (PSDB). A diferença de votos foi de 215 mil para Marcelo Crivella (PRTB), terceiro colocado.

Vereador
Para cargo de vereador, o PSDB emplacou quatro entre os dez mais votados, Gabriel Chalita – o único a romper a marca de 100 mil votos –, Mara Gabrilli, Vereador Netinho e Carlos Alberto Bezerra Jr. O PT tem dois, Senival e Arselino Tatto. Os tucanos junto com o PHS tiveram 868 mil votos. Porém as coligações que aparecem na frente foram são as encabeçadas PT (PCdoB, PRB, PT e PSB), com 1 milhão, seguida pela do DEM (PR, PMDB e DEM).

No Rio de Janeiro, o PMDB, do governador Sérgio Cabral, teve três postulantes à Câmara de Vereadores entre os dez mais votados, Clarissa Garotinho, Chiquinho Brazão e S. Ferraz. O PSDB teve dois, Lucinha e Teresa Bergher, sendo a primeira a mais votada. O PV também tem dois na lista dos dez primeiros, Sirkis e Aspásia.

No total, porém, os Democratas, partido do atual prefeito César Maia, tiveram 450 mil votos, e ficaram à frente. O PSDB totalizou 251 mil e o PMDB 234 mil votos para a vereança. O PT obteve modestos 147 mil, ficando atrás de PSB-PCdoB, PT do B e PDT.



No artigo

x