Atividades pelo país marcam o Dia Mundial de Luta contra a Aids

 Foto: Magda Fernanda/Ministério da Saúde  e Denis Freire de Almeida/G1 Várias cidades do país programaram atividades para lembrar o Dia Mundial de Luta contra a Aids, nesta segunda-feira, . Confira aqui algumas delas. Neste...

252 1

 Foto: Magda Fernanda/Ministério da Saúde  e Denis Freire de Almeida/G1

Várias cidades do país programaram atividades para lembrar o Dia Mundial de Luta contra a Aids, nesta segunda-feira, . Confira aqui algumas delas. Neste ano, a campanha do Ministério da Saúde tem como foco os homens heterossexuais com mais de 50 anos.

No Distrito Federal, o Programa Nacional de DST e Aids preparou uma intervenção urbana, chamada “O preconceito isola”, que será montada na Praça dos Três Poderes. Ao longo de todo o dia, um jovem ficará dentro de uma bolha transparente, impedido de tocar quem estiver no ambiente externo. O objetivo é levantar o debate sobre a exclusão vivida por quem tem o HIV ou sofre outros tipos de preconceito.

O maior monumento de São Paulo, o Obelisco do Ibirapuera, com 72 metros de altura, foi ornamentado com 12 laços vermelhos que são o símbolo do combate à doença.

Em Colatina (ES), a Coordenação Municipal de DST/Aids, em parceira com organizações não governamentais, vão montar estande na praça municipal, onde ocorrerá distribuição de preservativos, panfletos educativos e esclarecimentos à população. Entre os dias 3 e 5 de dezembro, haverá coleta para exames de sangue em 11 unidades de saúde estratégicas das zonas urbana e rural.

Em Aracaju, quem passar pelos principais pontos turísticos (mercados populares, centro da cidade, Passarela do Caranguejo e Arcos da Orla da Praia de Atalaia) receberá material informativo sobre formas de prevenção e de transmissão da Aids e de outras doenças sexualmente transmissíveis. Nesses locais, serão oferecidos preservativos masculinos e femininos, além de informações sobre os serviços de saúde. No dia 3 de dezembro, o Iate Clube da cidade fará o Baile da Prevenção, destinados a idosos. Durante a festa, serão expostas informações sobre prevenção e o quadro atual epidemiológico das DST/HIV/Aids para este grupo etário.

Números
Segundo dados do Ministério da Saúde, a taxa de incidência entre pessoas acima dos 50 anos dobrou entre 1996 e 2006, passando dos 7,5 casos por 100 mil habitantes para 15,7. A maioria dos casos de Aids, porém, ainda está na faixa etária de 25 a 49 anos. Dos 47.437 casos notificados desde o início da epidemia em pessoas acima dos 50 anos, 29.393 (62%) foram registrados de 2001 a junho de 2008. Desse último grupo, 37% são mulheres e 63% homens.

Dados do Boletim Epidemiológico Aids/DST mostram que de 1980 a junho de 2008 foram registrados 506.499 casos no Brasil, sendo que nesse período ocorreram 205.409 mortes em decorrência da doença. A epidemia no país é considerada estável, sendo que a média anual de casos entre 2000 e 2006 é de 35.384.

Em relação ao HIV, a estimativa é de que existam 630 mil pessoas infectadas. Do acumulado, a Região Sudeste é a que tem o maior percentual de notificações, 60,4% (305.725 casos). O Sul concentra 18,9% (95.552), o Nordeste 11,5% (58.348), o Centro-Oeste 5,7% (28.719) e o Norte 3,6% (18.155).

A sobrevida das pessoas que vivem com Aids nas regiões Sul e Sudeste dobrou entre 1995 e 2007, sendo que o tempo médio de vida de adultos passou de 58 meses para mais de 108 meses.

(Com informações do G1)



No artigo

1 comment

  1. Aurea de Andrade

    Universidades e ONGs da Holanda, de vários países africanos, EUA, Reino Unido, Mekong etc, pediram-me mais detalhes e fotos dos aliimentos que fortaleceram o sistema imunológico numa soropositiva em minha cidade. Usamos sumos de clorofila (especialmente com as folhinhas da Moringa oleifera), polpa de côco verde (geralmente descardada como lixo), sementes germinadas ETC. Pesquisarão com métodos científicos para verificarem porque esses alimentos VIVOS fortalecem o sistema imunológico. Precisamos que pesquisem mais sobre isso no Brasil

Comments are closed.


x