Bancários decidem hoje se acabam com greve

Os bancários farão assembleia hoje, às 17h30, para decidir se aceitam a proposta feita pela Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) ontem à noite. A federação propôs reajuste de 6% nos salários e aumento na...

144 2

Os bancários farão assembleia hoje, às 17h30, para decidir se aceitam a proposta feita pela Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) ontem à noite. A federação propôs reajuste de 6% nos salários e aumento na Participação nos Lucros e Resultados (PLR). A reivindicação do Sindicato dos Bancários era de aumento de 10%. A tendência é que a proposta seja aceita pelos funcionários.

Descontando-se a inflação segundo o INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor), o aumento real do salário passa a ser de 1,5%. Se a proposta anterior de reajuste de 4,5% tivesse sido aceita, o aumento real teria sido de 0,06%. Na época, o Comando Nacional rejeito na própria mesa de negociação a proposta.

A regra básica da PLR será de 90% do salário, mais R$ 1.024, limitado ao valor de R$ 6.680. A parcela adicional será de 2% do lucro líquido de 2009 dividido pelo número de funcionários, em partes iguais, com teto de R$ 2.099. Se o valor da PLR não atingir 5% do lucro líquido, será distribuída verba até atingir o teto de 2,2 salários, limitado a R$ 14.696. Será mantida a distribuição de até 15% do lucro líquido. “A PLR como parcela do lucro líquido dos bancos, e não como parte da variação, é uma proposta da categoria desde 2005 que foi conquistada no BB e agora avança para os outros bancos”, destaca o presidente do Sindicato, Luiz Cláudio Marcolino.

A Fenaban também propôs ampliação da licença-maternidade em 180 dias. Os bancos também se comprometeram a tratar com isonomia e garantir os mesmos direitos aos casais homoafetivos,

Os funcionários dos bancos públicos – Banco do Brasil (BB), Caixa Econômica Federal (CEF) e Nossa Caixa – conquistaram ainda mais benefícios. Os bancários do BB receberão 9% de reajuste – 3% a mais que o reajuste da categoria – a partir de outubro. A Nossa Caixa e a CEF vão oficializar suas propostas até antes da assembleia. No entanto, eles já se comprometeram em abrir 10 mil postos de trabalho.

Os dias parados durante a greve serão compensados até o dia 15 de dezembro e não poderão ser descontados.



No artigo

2 comments

  1. Artur

    Apesar deste reajuste ser melhor e ter mais benefícios maiores ainda o reajuste não é convincente mas melhorou!! o importante é que os trabalhadores tenham seus direitos um pouco mais respeitados!! por isso que a greve é um direito inquestionável de todo trabalhador!!!

  2. Artur

    Apesar deste reajuste ser melhor e ter mais benefícios maiores ainda o reajuste não é convincente mas melhorou!! o importante é que os trabalhadores tenham seus direitos um pouco mais respeitados!! por isso que a greve é um direito inquestionável de todo trabalhador!!!

Comments are closed.


x