Belém precisa ampliar capacidade de acesso à internet para o Fórum Social Mundial

A necessidade de ampliar a capacidade de conexão em banda larga em Belém, durante a realização do Fórum Social Mundial, em janeiro do ano que vem, foi debatida hoje (6) durante a 7ª Oficina...

106 0

A necessidade de ampliar a capacidade de conexão em banda larga em Belém, durante a realização do Fórum Social Mundial, em janeiro do ano que vem, foi debatida hoje (6) durante a 7ª Oficina para Inclusão Digital.

A integrante do comitê de apoio do governo do estado do Pará, Cleide Tavares, reconheceu que a capacidade atual não será suficiente para atender os 80 mil visitantes de 150 países que devem estar na capital paraense durante o evento. Segundo ela, o governo estadual está buscando parcerias com diversos órgãos do governo federal para melhorar a capacidade de acessos.

Para o secretário-executivo do Projeto Casa Brasil, Edgard Piccini, o fórum também deve debater a necessidade de haver espaços públicos de armazenamento de conteúdos nos quais o usuário possa ter privacidade para guardar seus dados.

“Temos que levantar a bandeira de uma internet realmente pública, porque hoje o acesso é publico, mas a troca e o armazenamento de dados passam pela iniciativa privada. Esse tema é crucial para a inclusão digital e o desenvolvimento da internet”, defendeu.

Segundo a coordenadora do comitê local do Fórum Social Mundial, Aldalice Otterloo, a organização do evento está providenciando a hospedagem dos participantes em cidades vizinhas a Belém, escolas, casas de moradores da capital e até em barcos. Também será construído um espaço para 1,5 mil redes. “Uma coisa eu garanto: ninguém vai dormir na rua”, disse.

Também foram realizadas na tarde de hoje oficinas práticas de acessibilidade, elaboração e gestão de projetos, comunicação comunitária, cooperativas tecnológicas, telecentros, metareciclagem e robótica livre.



No artigo

x