Bush autorizou torturas nos interrogatórios da CIA

Segundo a edição online desta quarta-feira do Washington Post, a Administração Bush autorizou explicitamente métodos de tortura como o waterboarding (afogamento temporário) nos interrogatórios da CIA a suspeitos de terrorismo. Estas autorizações, solicitadas...

105 0

Segundo a edição online desta quarta-feira do Washington Post, a Administração Bush autorizou explicitamente métodos de tortura como o waterboarding (afogamento temporário) nos interrogatórios da CIA a suspeitos de terrorismo. Estas autorizações, solicitadas já depois de se terem iniciado as torturas, estão patentes em documentos classificados da CIA de 2003 e 2004.

George Tenet, na altura director da CIA, estava preocupado pela falta de cobertura política formal aos métodos de torutura utilizados nos interrogatórios desta força de segurança. Assim, em 2003, reuniu com Condoleezza Rice e membros do Conselho de Segurança do Estado e dias depois já tinha o que queria: um documento oficial do governo autorizando os referidos métodos de tortura.

Mas um ano depois, numa altura em que o escândalo da prisão de Abu Ghraib rebentou, o então director da CIA, pressentindo uma deterioriação das relações da CIA com a Casa Branca, voltou a pedir uma autorização oficial, que foi novamente concedida.

Entretanto, soube-se há menos de um ano que a agência de espionagem norte-americana destruíu pelo menos dois vídeos de interrogatórios feitos em 2002 a supostos membros da al-Qaeda. A decisão de destruir os vídeos que mostravam a dureza dos interrogatórios foi tomada devido aos riscos de acção legal contra os agentes envolvidos.

O Congresso de maioria democrata chegou a considerar proibir a técnica de tortura de afogamento, mas Bush sempre disse que vetaria essa proposta.

Esquerda.net



No artigo

x