Cidade para além dos cartões-postais

Movimentos sociais realizam, de 23 a 26 de março, no Rio de Janeiro, o Fórum Social Urbano. O evento ocorre paralelamente ao 5º Fórum Urbano Mundial, realizado na cidade entre os dias 22 e...

126 1

Movimentos sociais realizam, de 23 a 26 de março, no Rio de Janeiro, o Fórum Social Urbano. O evento ocorre paralelamente ao 5º Fórum Urbano Mundial, realizado na cidade entre os dias 22 e 26.

Organizado a cada dois anos pela Agência Habitat da Organização das Nações Unidas (ONU), o Fórum Urbano Mundial é considerado o principal evento de urbanismo do mundo e deve reunir, neste ano, cerca de 50 mil pessoas.

Militantes dos movimentos sociais, porém, afirmam que todas as edições do encontro têm sido dominadas pelas delegações oficiais e pela agenda de organizações como Banco Mundial, Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), Banco Asiático de Desenvolvimento (BAD), Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e Aliança de Cidades, entre outras. A fórmula não abre espaço, assim, ao debate sobre a lógica da cidade-empresa e da cidade-mercadoria.

O Fórum Social Urbano pretende, portanto, questionar a falta de participação popular nas decisões sobre os rumos das cidades e debater os principais problemas vividos nos centros urbanos, discussão que se torna mais urgente em época de preparação para as Olimpíadas na capital fluminense e para a Copa do Mundo em 12 capitais.

O encontro organizado pelos movimentos sociais será realizado no espaço do Centro Cultural da Ação da Cidadania Contra a Fome (rua Avenida Barão de Tefé, 75), na Zona Portuária do Rio de Janeiro. O local fica a 300 metros do evento oficial, o que facilitará a troca de experiências entre os participantes.

Eixos
As discussões nas plenárias preparatórias para o Fórum Social Urbano apontaram quatro eixos de estruturação dos debates. O primeiro abordará a criminalização da pobreza e violências urbanas, e tratará sobre a militarização das periferias e de bairros populares, a riminalização dos pobres e dos migrantes, racismo, machismo e homofobia na cidade, violência contra as mulheres e repressão dos militantes populares.

O segundo eixo, "Megaeventos e a Globalização das Cidades", discutirá o impacto de eventos como a Copa do Mundo, as Olimpíadas e exposições internacionais na dinâmica da cidade e quem são os beneficiários desses projetos.

O meio ambiente também entra como um ouro eixo do fórum e integrará o debate ambiental com as desigualdades e a organização do espaço urbano, a relação da preservação da natureza com projetos de sanemaneto e saúde, o impacto das mudanças climáticas globais sobre os centros urbanos e os conflitos e lutas de resistência em defesa do meio ambiente.

Projetos de revitalização de áreas centrais e portuárias que estão en andamento em diversas metrópoles mundiais serão o foco do quarto eixo, "Grandes Projetos Urbanos, Áreas Centrais e Portuárias". Além da questão do direito à moradia digna e seu conflito com a especulaçaõ imobiliária que resulta em um processo de "aburguesamento" da cidade, o debate se estenderá para as outras consequências sociais do problema da habitação e do planejamento urbano, como o problema da mobilidade e da falta de moradia.

Além dos debates, o encontro deve organizar visitas em grupo à cidade para além dos cartões-postais, manifestações artísticas, exposições, plenárias, fóruns de articulação, projeções e exibições de filmes, dentre outras atividades.

Para saber mais sobre o Fórum Social Urbano, clique aqui.

Com informações da Agência Brasil de Fato.



No artigo

1 comment

  1. Artur

    Muito bom!! a questão urbana é muito séria e o poder público muitas vezes vira as costas problemas ambientais: como dengue, poluição atmosférica, contaminação química dos rios, lagos e mares além das ilhas de calor dentre outros, problemas no trânsito e mobilidade excesso de carros e motos nas ruas, falta de transporte de massa público eficiente e acessível a todos os trabalhadores, problemas sócio-econômicos com favelização, espaços urbanos vazios, pobreza, falta de infra-estrutura e moradias, falta de saúde pública para todos os moradores e de acesso as escolas ou a educação!! são problemas que temos que enfrentar e foram causados pela expulsão dos trabalhadores da áreas rurais para as urbanas o chamado êxodo rural!!! concetrando muito a população em áreas urbanas com São Paulo.

Comments are closed.


x