Comissão de Anistia vai conceder indenização à viúva de Chico Mendes

A Comissão de Anistia aprovará nesta terça-feira, 9, em Rio Branco, no Acre, a condição de anistiado político post-mortem do líder seringueiro Chico Mendes, cujo assassinato completará vinte anos no próximo dia 22. O...

135 1

A Comissão de Anistia aprovará nesta terça-feira, 9, em Rio Branco, no Acre, a condição de anistiado político post-mortem do líder seringueiro Chico Mendes, cujo assassinato completará vinte anos no próximo dia 22. O pedido de anistia foi protocolado pela viúva Ilzamar Mendes, em 2005. A família terá direito a receber indenização pelo fato de Mendes ter sido perseguido pelo regime militar.

" A anistia a Chico Mendes, perseguido na ditadura e na democracia, recompõe a imagem do Brasil "

O sindicalista começou a atuar na luta sindical em meados dos anos 70 e foi um dos fundadores do PT no estado. Em 1980, foi enquadrado na Lei de Segurança Nacional (LSN), acusado de envolvimento no assassinato de um capataz de uma fazenda.

A atuação de Chico Mendes frente ao Sindicato dos Seringueiros de Xapuri (AC), a partir de 1981, deu visibilidade internacional a seu trabalho. Sem sucesso, porém, não elegeu-se deputado estadual pelo PT, em 1982. Dois anos depois, o sindicalista, muito amigo do então sindicalista Luiz Inácio Lula da Silva, foi julgado, e absolvido, pelo Tribunal Militar de Manaus, acusado novamente de incitar violência contra fazendeiros.

Chico Mendes foi assassinado na porta da sua casa, em Xapuri, que hoje é local de visitação na cidade. Ele tinha 44 anos e teve dois filhos com Ilzamar, o casal Sandino e Elenira. A filha, filiada ao PV, cogitou disputar a prefeitura de Xapuri este ano, mas desistiu da idéia. Ela cuida da Fundação Chico Mendes. Os responsáveis pela morte do seringueiro – os fazendeiros Darly Alves da Silva e Darcy Alves da Silva, foram condenados a dezenove anos de prisão.

(Com informações de O Globo)



No artigo

1 comment

  1. Otavio

    Gostaria de saber qual foi o advogado da mulher de Chico Mendes afinal ela protocolou o pedido em 2005. Mercedes da Silva Mello protocolou pedido em 08/12/2004 pelo marido Octavio Mello perseguido e anistiado que serviu 11 anos de exército e foi excluído e considerado como morto e até hoje nada. País injusto não sei se vale a pena lutar pelo nosso país. Vejam no blog http :www.octaviomello.blogspot.com

Comments are closed.


x