Dom Luiz Cappio recebe prêmio internacional

Manifestação, em dezembro de 2007, na Praça dos Três Poderes em solidariedade agreve de fome de dom Luiz Flávio Cappio. Foto: José Cruz/ABr No dia 18 de outubro, durante programação da 5ª Romaria das Águas, será...

128 0

Manifestação, em dezembro de 2007, na Praça dos Três Poderes em solidariedade agreve de fome de dom Luiz Flávio Cappio. Foto: José Cruz/ABr

No dia 18 de outubro, durante programação da 5ª Romaria das Águas, será feita a entrega do Prêmio pela Paz da Pax Christi Internacional (2008 Pax Christi International Peace Award), ao bispo Dom Luiz Cappio e às organizações e movimentos sociais, povos e comunidades tradicionais, envolvidos na luta pela revitalização e contra o projeto de transposição das águas do rio São Francisco. O prêmio será entregue a partir das 20 horas, durante ato inter-religioso, na Praça da Matriz da cidade de Sobradinho (BA). Em seguida, os participantes seguirão em Romaria para as margens do Rio São Francisco, ao pé da Barragem de Sobradinho, onde será realizado um show musical com várias atrações.

Estarão presentes, também, na premiação, o ator de teatro e televisão Gilberto Miranda, do Movimento Humanos Direitos (MHuD), Dom Tomás Balduino, conselheiro permanente da Comissão Pastoral da Terra (CPT), Dom Mauricio Andrade, bispo Primaz da Igreja Episcopal Anglicana de Brasília (DF), Jaciara Ribeiro dos Santos, ialorixá do Terreiro Axé Abassá de Ogun, em Salvador (BA); Marianne Spiler, do Servicio de Paz y Justicia en América Latina – SERPAJE (coordenado pelo NOBEL DA PAZ Adolfo Perez Esquivel) e integrante da Academia Livre Internacional das Águas (ALIAS); pastora Sandra Begré, da Igreja Reforma da Suíça; reverendo Bruno Almeida, da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil na Bahia; Vera Nunes, diácona da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil, em Salvador (BA); Kathleen Stephenson, da Igreja Unida do Canadá e da Coordenadoria Ecumênica de Serviços (CESE), em Salvador (BA); Célio Maranhão, representante do pastor Joel Ribeiro, da Igreja Batista de Nazaré; entre outros.

Ainda durante o sábado, 18, acontecerá, em Sobradinho (BA), a Jornada Mundial de Jejum pela Paz e Soberania Alimentar (veja o Manifesto aqui). Durante esse dia, Dom Cappio e várias pessoas ao redor do mundo irão jejuar, chamando a atenção para a tendência mundial em concentrar a produção agrícola em grandes empresas e com altas tecnologias, agora potencializadas pelos combustíveis de origem vegetal, em detrimento da produção alimentar e da agricultura camponesa, com graves riscos ambientais. Ao mesmo tempo, o gesto questiona o modelo de consumo egoísta e alienado – um dos fatores responsáveis pelo escândalo da fome no mundo e pelo agravamento da crise ecológica.

O prêmio
O Prêmio pela Paz é concedido pela Pax Christi Internacional, anualmente desde 1988, a homens e mulheres que defendem a paz e a não-violência em qualquer parte do mundo. Dom Cappio é o terceiro brasileiro a receber. O primeiro foi a sindicalista Margarida Alves, que recebeu postumamente, em 1988. O segundo foi o membro do Alto Comissariado da ONU para os Direitos Humanos, Sérgio Vieira de Mello, morto vítima de um atentado terrorista no Iraque.

A Pax Christi Internacional
A Pax Christi Internacional foi fundada na França, em 1945, como um movimento de reconciliação entre franceses e alemães após a Segunda Guerra Mundial. Constitui-se em movimento católico e uma Rede pela Paz, respeito aos Direitos Humanos, justiça e reconciliação em regiões devastadas por conflitos. Baseia-se na crença de que a paz é possível e que os círculos viciosos da violência e da injustiça podem ser quebrados. Hoje conta com mais de 100 Organizações-Membro e atua em mais de 50 países dos cinco continentes. No Brasil seu representante é a Comissão Pastoral da Terra (CPT). A Pax Christi tem status consultivo junto à ONU, à UNESCO e ao Conselho da Europa.



No artigo

x