Estudo do Ipea aponta obstáculos para desenvolvimento com qualidade do país

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) vê obstáculos para o desenvolvimento com qualidade do país. O instituto alerta que já em maio o Brasil pode passar a ter um desenvolvimento considerado ruim, “deixando...

134 0

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) vê obstáculos para o desenvolvimento com qualidade do país. O instituto alerta que já em maio o Brasil pode passar a ter um desenvolvimento considerado ruim, “deixando escapar importantes vitórias conquistadas nos últimos anos”.

O Ipea divulga nesta quinta-feira, 26, no Congresso Nacional, pesquisa inédita que traz o Índice de Qualidade do Desenvolvimento (IDQ). Os números, segundo o instituto, mostram que “o bom desenvolvimento brasileiro recente está cada vez mais frágil”.

O IDQ consolida índices de qualidade de crescimento, de qualidade da inserção externa e de qualidade do bem-estar, em uma escala que vai de 0, considerado péssimo, a 500, ótimo. Em janeiro, o IDQ ficou em 225,4 pontos, uma queda de 5,6% na comparação com o índice do mês anterior. O resultado, na análise do instituto, mostra uma tendência de queda, observada em abril de 2008.

“Contribuiu para isso o fato de o Índice de Qualidade do Crescimento manter-se estável no mês de janeiro, passando de 222,3 pontos [dezembro] para 222,8 pontos. Isso se deve, basicamente, à piora em outros itens contrabalançados pelo crescimento da produção de bens de consumo durável em janeiro [35%]”, informa o estudo.

O resultado, segundo o Ipea, é incapaz de repor as perdas acumuladas nesse setor entre outubro e dezembro de 2008, de 57,7%. “Ou seja, uma situação instável e que põe obstáculos ao desenvolvimento do país”.

O Índice de Qualidade da Inserção Externa registrou o pior resultado em conseqüência da crise internacional. Segundo a pesquisa, o índice ficou em 182,4 pontos, patamar que indica como ruim a qualidade do desenvolvimento. O motivo, no entendimento dos economistas do Ipea, foram, principalmente, as remessas líquidas de renda ao exterior que cresceram entre dezembro e janeiro passados, somando US$ 6 bilhões, a diminuição das reservas quase no mesmo montante e a queda dos termos de troca.

O único indicador que colabora para que evitar uma piora da qualidade recente do desenvolvimento nacional é o Índice de Qualidade Social. O indicador apresentou, entre abril do ano passado e janeiro de 2009, queda de 64,8 pontos, passando de 351,8 para 287, situação considerada boa.

Os índices mostram também que o “bom ritmo de crescimento econômico e melhoria social vivido pelo país desde 2004 já apresentava sinais de fraqueza no primeiro trimestre de 2008”.

Agência Brasil



No artigo

x