Fórum Social dos Estados Unidos

Fórum Social Mundial em processo Por Moacir Gadotti   Foi realizado, em Atlanta (Geórgia), nos Estados Unidos, de 27 de junho a 1o de julho, o primeiro...

303 0

Fórum Social Mundial em processo

Por Moacir Gadotti

 

Foi realizado, em Atlanta (Geórgia), nos Estados Unidos, de 27 de junho a 1o de julho, o primeiro Fórum Social daquele país. Desde 2004 havia sido criado um Comitê Nacional de Planejamento desse evento, integrado por movimentos sociais e ONGs. O primeiro realizado “no coração da besta” – como se dizia em Nairóbi –, foi um êxito tanto em seu processo democrático e popular de organização, como na sua impecável realização.
Atlanta foi escolhida por sua rica história de lutas pelos direitos civis nos Estados Unidos. Foi a partir de Atlanta que Martin Luther King iniciou sua batalha pelos direitos dos afro-americanos. O Fórum Social dos Estados Unidos realizou-se na terra ancestral dos povos indígenas Cherokees e Creeks, que estavam à frente da marcha inicial do Fórum, com a participação de mais de 10 mil pessoas.
Discutiu-se, em mais de mil painéis, a revolução não-violenta, a economia solidária, o comércio justo, o tema da moradia, da migração, das religiões progressistas. E não poderia faltar o debate da guerra do Iraque e tudo o que ela representa na cultura da guerra estadunidense que atinge o currículo escolar e o complexo industrial militar e religioso. Esses e outros temas estavam também presentes em 14 tendas temáticas: Nativos americanos, África, Juventude, Democracia, Solidariedade dos povos, Justiça ambiental, Palestina, Sul–Norte, Justiça e paz, Sonhos e pesadelos (exibição de fotos), Direito de migração, Solidariedade econômica, Direito à água e Direitos humanos para os povos pobres.
Pela primeira vez o tema da educação popular foi central nos debates de um Fórum Social, discutindo novos paradigmas para a transformação social. Foram reafirmadas as propostas já defendidas no Fórum Social Mundial de Mumbai, na Índia, em janeiro de 2004, para a democratização das instituições internacionais e a criação de um parlamento mundial. Sessões plenárias no período noturno faziam a conexão entre os três eixos do Fórum: conscientização, visão e estratégias.
Os furacões Katrina e Rita que atingiram a região, em 2005, despertaram a consciência social, mostrando um país extremamente dividido entre os direitos dos ricos e o abandono dos pobres, provocando indignação e fortalecendo o espírito comunitário e a luta por justiça social. Depois dos furacões que destruíram Nova Orleans, tornaram-se visíveis, não só a perda dos direitos civis, mas também a força histórica do racismo, do genocídio, da escravidão, do militarismo, da exploração, da supremacia racial branca e do sexismo. Os furacões mostraram a outra América, a de mais de 40 milhões de pobres, a América da desigualdade e da degradação dos serviços públicos.
A Assembléia dos Movimentos Populares, chamada de “Assembléia dos Povos”, serviu para criar pontes de conexão intertemática entre os temas de gênero, raça, nacionalidade, habilidade, sexualidade, idade, região etc. Essa convergência e integração realiza um dos objetivos principais dos eventos dos Fóruns que é o fortalecimento das redes, o estabelecimento de alianças e a articulação das lutas.
Alguns criticaram a baixa participação da academia. De fato, as vozes acadêmicas foram praticamente ignoradas no Fórum dos Estados Unidos. O Fórum Social dos Estados Unidos, não conseguiu atrair o forte mundo acadêmico, servindo para aprofundar a distância entre o mundo acadêmico de esquerda e os movimentos sociais. Esse é um ponto que precisa ser aprofundado. Muitas razões existem para que os movimentos sociais desconfiem da academia, contudo, precisamos levar em conta o importante potencial crítico das universidades na formação dos jovens.
Observei ainda uma forte presença da visão “multicultural”, muito própria dos Estados Unidos. Em vez de aprofundar o debate das divergências, cada grupo, a partir de sua identidade, expõe seu ponto de vista, com liberdade e autenticidade, mas sem pontos de enlace, alianças e construção de uma visão intertranscultural.
O Fórum teve um significado simbólico importante: foi o maior evento organizado por movimentos sociais daquele país.
No próximo número discutiremos a desafio da facilitação do processo do FSM. F

AGENDA
2007 – Salvador, Bahia. www.forumsocialnordestino.org.br, secretaria2fsne@yahoo.com.br
I Fórum Social Québec – de 23 a 26 de agosto de 2007 – Montreal, Québec, Canadá. www.forumsocialquebec.org, info@forumsocialquebec.org
Fórum Mundial de Educação Temático – 13 a 16 de setembro de 2007 – Alto Tietê, São Paulo.
www.forummundialeducacao.org.
Leia mais: www.forumsocialmundial.org.br



No artigo

x