Fórum Mundial de Educação discutirá educação profissional e tecnológica

Desde 2001, é realizado o Fórum Mundial de Educação Profissional (FME) como forma de priorizar o direito universal à educação. Este ano, em comemoração aos 100 anos da Rede Federal, o evento ganha nova...

157 2

Desde 2001, é realizado o Fórum Mundial de Educação Profissional (FME) como forma de priorizar o direito universal à educação. Este ano, em comemoração aos 100 anos da Rede Federal, o evento ganha nova versão e pretende focar a educação profissional e tecnológica.

O Fórum acontecerá de 23 a 27 de novembro, no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília, capital federal do Brasil. A intenção é debater propostas e fazer um intercâmbio de experiências entre professores, estudantes, gestores e formadores de opinião. A discussão pode determinar o futuro profissional de milhares de pessoas.

As inscrições para o Fórum tiveram início no dia 28 de julho. Os interessados em participar podem escolher entre diferentes modalidades de interação: participação comum, mostra de pôsteres e atividades autogestionadas (palestras, seminários, apresentações culturais e mostra estudantil de inovação tecnológica). O caráter democrático do evento pretende levar a maior quantidade de pessoas para um espaço aberto de diálogos.

A programação prevê atividades dentro de três eixos temáticos: I. Educação, Trabalho e Desenvolvimento Sustentável, II. Educação, Culturas e Integração e III. Educação, Ética, Inclusão e Diversidade.

Participações

A expectativa é de que 5 mil pessoas circulem pelo evento, entre elas, estudantes, professores, pesquisadores, trabalhadores, governos, sindicatos, associações e membros da sociedade civil organizada. Diversos estudiosos da temática educação também estarão presentes para levantar propostas que integrem a plataforma mundial de educação. Especialistas da Espanha, Itália, França, Uruguai, Argentina, Canadá, Cabo Verde e de outros países já confirmaram participação.

Entre os convidados mais aguardados está o brasileiro Miguel Nicolelis, médico considerado um dos 20 maiores cientistas da atualidade, segundo a revista americana Scientific American. Nicolelis estuda alternativas para integrar o cérebro humano a máquinas. A intenção do pesquisador é desenvolver próteses para a reabilitação de pacientes com paralisia. Ele participará do debate sobre educação, trabalho, ciência, tecnologia e inovação, no dia 24, à tarde.

Além de Nicolelis outra presença confirmada é a do pesquisador francês Bernard Charlot, que estuda a relação entre o desempenho escolar de uma criança e a classe social que seus pais ocupam. Charlot já coordenou estudos sobre o assunto com alunos de periferias da França, Tunísia, República Tcheca e Brasil. O europeu debate educação, mundos do trabalho e desenvolvimento sustentável, também no dia 24.

Mais informações podem ser obtidas no Portal do MEC http://portal.mec.gov.br/fmept/ou pelos telefones (61) 2104-8644/2104-8646.
Programação

23/11 Abertura

24/11 Conferência – Educação, Trabalho e Desenvolvimento Sustentável
Debate 1 – Educação, mundos do trabalho e desenvolvimento sustentável
Debate 2 – Educação, trabalho, ciência, tecnologia e inovação
Debate 3 – Formação de trabalhadores e trabalhadoras da educação profissional e tecnológica: saberes, metodologias e práticas pedagógicas
Debate 4 – Educação e financiamento

25/11 Conferência – Educação, Culturas e Integração
Debate 5 – A organização da educação profissional e tecnológica: um panorama mundial
Debate 6 – As ações dos organismos e associações internacionais nos processos de integração, pesquisa e formação de redes de apoio ao desenvolvimento de educação profissional
Debate 7 – Mobilidade estudantil e docente: desafios da formação, certificação e orientação profissional
Debate 8 – Educação e interculturalidade

26/11 Conferência – Educação, Ética, Inclusão e Diversidade
Debate 9 – Juventude, educação e mundo do trabalho
Debate 10 – As relações entre a educação profissional, educação formal e reconhecimento de saberes não formais
Debate 11 – Educação, diversidade e cidadania
Debate 12 – Educação profissional do campo

27/11 Carta do Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica
Encerramento

Com informações da Adital.



No artigo

2 comments

  1. gislene andrade

    Participei do Fórum nos dias 24, 25 e 26, fonte inesgotável de conhecimentos através de diversos relatos, debates e troca de experiências, pena que não dá tempo de participarmos de tudo. Parabenizo toda a comissão organizadora principalmente o senhor Eliezer Pacheco o qual tive oportunidade de conhecer pessoalmente. E gostaria de sugerir que publicassem o material escrito pelas relatoras durante as conferências, pois após a leitura dos mesmos vimos que elas conseguiram extrair o que de mais importante cada conferencista pontuou e isto será de grande importância para todos os interessados nos temas Educação Profissional e Tecnológica, Ética e Inclusão que participaram ou não do grandioso evento. Foi muito importante também participar do momento em que o governo brasileiro reconheceu seu erro e pediu desculpas à viuva de Paulo Freire a todo dado causado a ele , à sua família e à educação brasileira. Foi um gesto nobre, porém tardio. Gislene Andrade Santos Silva Itabira – MG

  2. gislene andrade

    Participei do Fórum nos dias 24, 25 e 26, fonte inesgotável de conhecimentos através de diversos relatos, debates e troca de experiências, pena que não dá tempo de participarmos de tudo. Parabenizo toda a comissão organizadora principalmente o senhor Eliezer Pacheco o qual tive oportunidade de conhecer pessoalmente. E gostaria de sugerir que publicassem o material escrito pelas relatoras durante as conferências, pois após a leitura dos mesmos vimos que elas conseguiram extrair o que de mais importante cada conferencista pontuou e isto será de grande importância para todos os interessados nos temas Educação Profissional e Tecnológica, Ética e Inclusão que participaram ou não do grandioso evento. Foi muito importante também participar do momento em que o governo brasileiro reconheceu seu erro e pediu desculpas à viuva de Paulo Freire a todo dado causado a ele , à sua família e à educação brasileira. Foi um gesto nobre, porém tardio. Gislene Andrade Santos Silva Itabira – MG

Comments are closed.


x