Fórum nas bancas: a esquerda e o unicameralismo

O senso comum da classe média brasileira aceita indignar-se contra políticos individuais acusados ou culpados de corrupção. Também aceita vociferar contra todo o sistema político, com diferentes versões da cantilena todo político é igual....

128 2

O senso comum da classe média brasileira aceita indignar-se contra políticos individuais acusados ou culpados de corrupção. Também aceita vociferar contra todo o sistema político, com diferentes versões da cantilena todo político é igual. A última delas é a “Não reeleja ninguém”, vergonhosa campanha pseudopolítica lançada por Daniela Thomas e disseminada por Marcelo Tas. Mas esse senso comum só consegue oscilar entre entender a corrupção como defeito moral individual ou como inevitabilidade de nosso sistema ou raça.

Daí que a conversa sobre corrupção no seio da classe média brasileira seja tão enfadonha. Ela passa do moralismo individual ao fatalismo coletivo (humano ou nacional) sem espaço para que uma conversa realmente política se estabeleça. Curiosamente, isso acontece no interior de uma sociedade que, apesar de complexa, enorme e em franca democratização, ainda não construiu canais para a discussão do unicameralismo.

Digo “curiosamente” porque seria de se esperar que a estrutura bicameral do Congresso brasileiro e a desproporcionalidade que caracteriza o Senado já teriam entrado em pauta nas discussões políticas sobre corrupção. Mas não é esse o caso. A julgar pela mídia e pelo senso comum da classe média, pareceria que essas duas coisas não estão relacionadas. Sem emplacar um debate real sobre as relações entre a corrupção e as estruturas do sistema político brasileiro, fica mais fácil apresentá-la como uma questão de origem moral. E qualquer pessoa de esquerda sabe que quando um problema político vem embrulhado como se fosse um problema moral, são os defensores do status quo, os poderosos e as forças conservadoras que se beneficiam.

Continue lendo aqui ou compre a Fórum 76 nas bancas. 



No artigo

2 comments

  1. Cristian Korny

    sim vamos discutir o unicameralismo, mas ele é inferior ao bicameralismo, pois no unicameralismo estados menos populosos ficam mal-representados, e assim marginalizados, unicameralismo só é bom para São Paulo e Minas Gerais, mais importante é discutir por quê duas pessoas com mesmo número de votos, uma é eleita e outra não…melhor discutir reforma política e não desfocar a questão em uni/bicameralista sim ou não…precisamos de um assembleia só pra essas reformas, para não ocorrer conflito de interesses

  2. Cristian Korny

    sim vamos discutir o unicameralismo, mas ele é inferior ao bicameralismo, pois no unicameralismo estados menos populosos ficam mal-representados, e assim marginalizados, unicameralismo só é bom para São Paulo e Minas Gerais, mais importante é discutir por quê duas pessoas com mesmo número de votos, uma é eleita e outra não…melhor discutir reforma política e não desfocar a questão em uni/bicameralista sim ou não…precisamos de um assembleia só pra essas reformas, para não ocorrer conflito de interesses

Comments are closed.


x