Fotografia contra a desertificação

Atualmente, as zonas áridas estendem-se a mais de um terço da superfície terrestre onde vivem cerca de dois mil milhões de habitantes. Cerca de metade da população que vive nestas zonas, abrangendo cerca de...

301 0

Atualmente, as zonas áridas estendem-se a mais de um terço da superfície terrestre onde vivem cerca de dois mil milhões de habitantes. Cerca de metade da população que vive nestas zonas, abrangendo cerca de 100 países, tem visto a sua saúde e o seu bem-estar seriamente ameaçados nas últimas décadas. No entanto, variados trabalhos científicos mostram que a desertificação pode ser combatida com algum sucesso desde que medidas correctas sejam aplicadas a tempo. Por este motivo, a luta contra a desertificação tem estado a ser levada muito a sério pelas maiores instituições científicas internacionais, apesar de tardar em ser um assunto de actualidade nos meios políticos. A Agência Espacial Europeia (ESA) é uma das instituições que tem colaborado estreitamente com a Convenção de Combate à Desertificação no desenvolvimento de uma base de dados de observações realizadas por satélite que servem para controlar a evolução temporal da desertificação nas regiões do mundo mais sensíveis. Estas imagens têm revelado um preocupante aumento da reflectividade da superfície terrestre, da seca e de regiões poeirentas. Desde 2004, Portugal, a Turquia e Itália participam na elaboração de uma base de dados de imagens obtidas por satélite intitulado Desert Watch que têm permitido elaborar um precioso mapa de Portugal das regiões mais áridas e mais vulneráveis à desertificação. As fotografias a enviar ao concurso da Convenção de Combate da Desertificação deverão abordar preferencialmente temas que abranjam soluções para conservação dos solos e dos meios aquíferos e a relação entre populações e os ecossistemas. O júri será composto por personalidades associadas à protecção do meio ambiente, como o fotógrafo Michael Martin da National Geographic ou o ambientalista Nicolas Hulot. As fotografias deverão ser enviadas até 17 de Julho próximo por email em formato JPEG e cada concorrente poderá enviar até três fotografias. O autor da melhor fotografia sobre o tema da desertificação receberá um prémio de 1500 euros a receber em Buenos Aires na Argentina durante o próximo encontro de parceiros da Convenção Combate à Desertificação.



No artigo

x