França discute o “imposto Google”

O relatório de uma comissão criada pelo governo francês para procurar soluções alternativas para o financiamento dos criadores culturais, conhecido como "relatório Zelnik", entregue esta semana, avança com a proposta de taxar a publicidade...

321 0

O relatório de uma comissão criada pelo governo francês para procurar soluções alternativas para o financiamento dos criadores culturais, conhecido como "relatório Zelnik", entregue esta semana, avança com a proposta de taxar a publicidade online afixada nos grandes motores de pesquisa, como o Google e o Yahoo, ou nos serviços de comunicação como o MSN.

O novo imposto incidiria sobre a publicidade de recursos e serviços franceses, independentemente da sede do portal que os publicasse (no caso do Google, a sede europeia fica na Irlanda). A medida poria fim "ao enriquecimento sem limites nem compensações" dos motores de busca, de acordo com Guillaume Cerutti, um dos autores do relatório, citado pelo Libération.

Outra proposta do relatório é uma revisão do IVA cobrado aos fornecedores de acesso à internet, que poderia envolver dezenas de milhões de euros.

Os autores do relatório defendem que os recursos arrecadados por medidas como estas deveriam ser investidos para apoiar o desenvolvimento de serviços musicais online e de plataformas de publicação e apoiar os criadores.

Além de Cerutti, presidente da Sotheby‘s de França, participaram da comissão o ex-ministro Jacques Toubon, e Patrick Zelnik, um ex-executivo da indústria musical que produziu algumas músicas da atual primeira dama, Carla Bruni Sarkozy.

Até agora, a única alternativa aprovada em França para combater a chamada "pirataria online" foi uma legislação repressiva que dispõe o desligamento compulsivo do acesso à net a quem faça downloads considerados ilegais. O "relatório Zelnik" aponta pela primeira vez outro caminho. Resta saber se vai ou não ser aproveitado. 

Por Esquerda.net.



No artigo

x