Futepoca: Balanço das eleições no ABC

Antecipo-me ao Sartorato e faço um balanço do resultado das eleições na região do ABC paulista, área simbólica para o PT e de grande concentração de eleitores. Começo por Mauá, a pérola deste pedaço...

136 0

Antecipo-me ao Sartorato e faço um balanço do resultado das eleições na região do ABC paulista, área simbólica para o PT e de grande concentração de eleitores.

Começo por Mauá, a pérola deste pedaço de São Paulo. O candidato petista Oswaldo Dias recebeu 48,16% dos votos e foi para o segundo turno contra Chiquinho do Zaíra (PSB), que teve 27,20%. Os petistas mauaenses acreditavam vitória já no primeiro turno, o que gerou certa decepção, pelo que eu ou vi falar, mas acho que nada que acabe com as chances do candidato. Chiquinho é apoiado por forças conservadoras tradicionais da cidade, mas não conseguiu um discurso até agora que mobilize o eleitorado. Acho que Oswaldo volta para a cadeira que ocupou entre 1996 e 2004. Uma curiosidade sobre a eleição mauense está no terceiro vereador mais votado na cidade: o comediante Ivan Gomes, o popular Batoré, da Praça é Nossa. Ele conquistou 4.778 eleitores com seu brilhante slogan de campanha “Ah, vota, ô!”.

Em Santo André, Vanderlei Siraque (PT) também bateu na trave para encerrar a questão neste domingo, tendo recebido 48,9%. Fará segundo turno contra Dr. Aidan, do PTB, que foi escolhido por 21,76% dos eleitores. As pesquisas apontaram durante toda a campanha disputa acirrada pelo segundo lugar entre Aidan, Salles (DEM), que teve 19,01% e Oswaldo Brandão (PSDB), que terminou mais atrás, com 8,32%. Siraque não terá vida fácil no segundo turno, mas deve levar.

Em São Bernardo, terra de Lula, outra disputa que quase acaba domingo. Luiz Marinho (PT) teve 48,27%, contra 37,55% de Orlando Morando (PSDB). A disputa aqui tende a ser mais difícil. O PT só conseguiu governar a cidade uma vez, com Maurício Soares, eleito em 1988. Em 1994, deixou o partido e em 1996, volta à prefeitura pelo PSDB. É reeleito em 2000, se afasta por problemas de saúde em 2003 e deixa William Dib (PSB), que se reelege em 2004. Hoje, Soares retorna, qual filho pródigo, ao partido onde surgiu, e é coordenador da campanha de Luiz Marinho. Se conseguir levá-lo à prefeitura, terá consolidado sua vocação para campanhas vitoriosas.

Em São Caetano, nada de novo: mais um passeio do lado mais conservador, representado dessa vez por José Auricchio, candidato a reeleição, que recebeu a bagatela de 78,14% dos votos. O PT vem em segundo, com o inusitado candidato Jayme Tortorello, que teve 13,02%. A família Tortorello dominou a política de São Caetano por um bom tempo e o próprio Auricchio foi apoiado por eles em sua primeira eleição, mas rachou com o clã. Assim, o Jayme conversou com o PT e ali amarrou seu burro. Acabada a aventura eleitoral, veremos o que vira a aliança.

A íntegra está no site Futepoca



No artigo

x