Grife Daspu lança “putique” na internet

Imagem: A travesti Andréa Albertini no camarim, antes do desfile, que aconteu em julho de 2008 na Praça Franklin Roosevelt (SP) Agora no site da Daspu, a grife da ONG carioca Davida, que luta...

421 0

Imagem: A travesti Andréa Albertini no camarim, antes do desfile, que aconteu em julho de 2008 na Praça Franklin Roosevelt (SP)

Agora no site da Daspu, a grife da ONG carioca Davida, que luta pelos direitos das prostitutas, ao clicar nas fotos dos desfiles, o internauta é direcionado à recém-inaugurada Putique Daspu, a loja virtual da grife que cria roupas inspiradas no universo da prostituição.
Engana-se quem pensa que o objetivo do site é vender para as prostitutas que navegam pela internet. "É um público que nos interessa, sim. Mas hoje em dia vestir Daspu virou ‘cult‘, vendemos para mulheres de classe média, profissionais liberais, que têm entre 26 e 45 anos", explica Flávio Lenz, diretor de marketing da Daspu.
"Afinal, hoje em dia, as patricinhas mesmo se vestem como as prostitutas."

Entre as peças comercializadas no site estão shorts –bem curtos–, camisetas, saias e lingeries. Segundo Lenz, neste setor a Daspu oferece um produto que ainda não existia no mercado, o "sutiliga", um sutiã que tem as alças de uma cinta-liga.

Lenz diz que a grife espera que os "best-sellers" da loja virtual sejam as camisetas da linha "Ativismo" –lançadas em 2003– que têm os inscritos "pu da vida" e "somos más, podemos ser piores".

(Com informações da folha de são paulo)

Leia Mais

Desfilando contra preconceitos Por Brunna Rosa Daspu, a grife irreverente da organização não-governamental Davida, que luta pelos direitos das prostitutas, exibe sua coleção "Verão 2009" e subverte os conceitos da moda



No artigo

x