Historiador analisa pressões externas e internas que precederam golpe a Allende

 Reprodução  O historiador Luiz Alberto Moniz Bandeira lança nesta quinta-feira, 11, o livro Fórmula para o Caos (Editora Civilização Brasileira) em São Paulo. O evento contará com debate...

125 0

 Reprodução Reprodução

O historiador Luiz Alberto Moniz Bandeira lança nesta quinta-feira, 11, o livro Fórmula para o Caos (Editora Civilização Brasileira) em São Paulo. O evento contará com debate com embaixadores e ativistas chilenos no dia em que se completam 35 anos do golpe de Estado que derrubou Salvador Allende, líder do governo da Unidade Popular no Chile.

O título da obra é tomado do nome da operação comandada pelo chefe da estação da CIA em Santiago, Henry Heckscher, composta por atentados terroristas, assassinatos, sabotagem, boicote econômico e financeiro, que culminariam com o golpe. Além de discutir a participação da agência de inteligência do governo dos Estados Unidos, Moniz Bandeira ainda busca apontar tensões e conflitos sociais internos que precederam o golpe de Estado em 1973.

A pesquisa incluiu documentos do governo estadunidense que deixaram de ser classificados como confidenciais, bem como arquivos confidenciais do Itamaraty, que revelam detalhes sobre o papel decisivo do Brasil e de seu governo militar na queda de Salvador Allende.

Aos 73 anos, o professor aposentado da Universidade de Brasília (UnB) tem uma ampla obra a respeito da relação entre Estados Unidos e América Latina, como Presença dos Estados Unidos no Brasil; De Martí a Fidel; Brasil, Argentina e Estados Unidos; e Formação do Império Americano. 

Lançamento
Fórmula para o Caos (Editora Civilização Brasileira) 
Fnac Paulista
Av. Paulista, 901,
Às 19h, debate com a presença de Samuel Pinheiro Guimarães, secretário-geral do Itamaraty; Marco Aurélio Garcia, assessor especial da presidência da República; o embaixador Carlos Henrique Cardim; o embaixador do Chile no Brasil, Álvaro Diaz Perez; e Roberto Thieme, ex-dirigente da organização chilena Pátria y Liberdade.



No artigo

x