Israel testa novas bombas em Gaza

Além da utilização de fósforo branco, proibido pelas convenções internacionais sobre armamento mas utilizado pelos Estados Unidos nos bombardeamentos sobre o Iraque, Israel está a testar novas armas nos ataques que tem vindo a...

112 0

Além da utilização de fósforo branco, proibido pelas convenções internacionais sobre armamento mas utilizado pelos Estados Unidos nos bombardeamentos sobre o Iraque, Israel está a testar novas armas nos ataques que tem vindo a fazer sobre Gaza. Segundo dois médicos noruegueses, a aviação israelita tem usado um explosivo conhecido como DIME, um explosivo de curto alcance mas grande poder destrutivo. Na noite de terça feira mais de 50 pessoas morreram em Gaza e houve trocas de disparos entre Israel e o Líbano.

Erik Fosse e Mads Gilbert, médicos noruegueses que trabalharam na Faixa de Gaza, denunciaram a utilização por Israel de um novo explosivo, de tipo experimental, chamado DIME (Dense Inert Metal Exoplosive). Os médicos fotografaram as brutais mutilações sofridas por palestinianos e enviaram as imagens para um centro especializado na Noruega, que confirmou a utilização deste explosivo.

O DIME é uma mistura de matérias químicas (como o tungsténio) com material explosivo, que permite provocar explosões de grande impacto, com um raio de alcance relativamente curto. Regressado a Olso depois de 11 dias de trabalho em Gaza, Gilbert declarou que "há uma forte suspeita de que Gaza está a ser usada como laboratório de armas".

De resto, o exército israelita já tinha sido acusado de utilizar fósforo branco, uma arma proibida pela convenções internacionais sobre armamento. O governo israelita defendeu-se desta acusação afirmando só utilizar armas também utilizadas pelos seus parceiros militares e, de facto, os Estados Unidos utilizaram reiteradamente fósforo branco nos seus bombardeamentos sobre o Iraque.

Ao longo da noite desta terça feira, mais de 50 pessoas foram mortas em Gaza pelos ataques de Israel, tendo o número de vítimas já ultrapassado as mil. O conflito ameaça, por outro lado, alastrar a oito territórios, já que foram lançados oito "rockets" israelitas que atingiram o Líbano e também houve três rockets que atingiram Israel a partir do Líbano.

Ver também "Israel acusado de usar bombas de fósforo"

Com informações da Esquerda.net.



No artigo

x