Lançamento mundial da campanha pela libertação dos 5 Cubanos presos nos EUA

No próximo dia 12 de setembro os "5 Cubanos" cumprirão dez anos de prisão política nos Estados Unidos. Gerardo Hernandez Nordelo, Ramon Labañino Salazar, Antonio Guerrero Rodriguez, René Gonzalez Sehwerert, Fernando Gonzalez Llort foram...

272 0

No próximo dia 12 de setembro os "5 Cubanos" cumprirão dez anos de prisão política nos Estados Unidos. Gerardo Hernandez Nordelo, Ramon Labañino Salazar, Antonio Guerrero Rodriguez, René Gonzalez Sehwerert, Fernando Gonzalez Llort foram presos no sul do Estado da Flórida, por agentes do FBI. Depois de enfrentarem o julgamento mais longo da história dos EUA foram declarados culpados e sentenciados a longas condenações sem precedentes. Os "5" trabalhavam no país para evitar que várias organizações e grupos terroristas, a maioria deles sediados em Miami, realizassem atos criminosos contra o povo cubano.

O ato político da campanha mundial pela libertação dos "5 Cubanos" no Brasil será em São Paulo, às 19:30, no Bar Canto Madalena. O lançamento será acompanhado de mostra fotográfica de Cuba, apresentação de DVD e distribuição de folders. Entre os convidados estão o secretário de Relações Internacionais da CUT, João Felício; representante do MST, Marcelo Buzetto e os cônsules de Cuba, Venezuela, Bolívia, Equador e demais países da América Latina além do coordenador do Comitê dos 5 Patriotas Max Altman, que lerá um manifesto ( manifesto e entrevista abaixo).

O Processo – A apelação inicial revogou todas as acusações por considerar que o processo não havia sido justo em Miami. Não contente, o governo norte-americano solicitou aos doze juízes do Tribunal de Apelações do Décimo Primeiro Circuito (de Miami) que revisassem a decisão. Um ano depois, com uma forte divergência de opinião da parte de dois dos juízes, o pleno do Tribunal revogou por maioria a decisão.

Em 27 de maio de 2005, um grupo de trabalho das Nações Unidas sobre Detenções Arbitrárias, após estudar os argumentos apresentados tanto pelas famílias dos cinco quanto pelo governo dos Estados Unidos, declarou arbitrária a privação de liberdade deles e exortou o governo americano a tomar as medidas necessárias para corrigi-la.

Em 20 de agosto de 2007, teve lugar, no Tribunal do 11º Circuito de Apelações de Atlanta, uma audiência oral convocada por um Painel de três juízes que teve sob sua responsabilidade a apelação do caso, na qual, do mesmo jeito que nas celebradas em março de 2004 e fevereiro de 2006, as partes – Governo e Defesa – expuseram seus argumentos e responderam aos questionamentos dos juízes.

Em 4 de junho de 2008, o Painel dos três juízes encarregado pelo 11º Circuito de Apelações de Atlanta em examinar o caso emitiu sua após o Pleno desse Tribunal, em 9 de agosto de 2006, ter revogado a decisão declarada em 9 de agosto de 2005, na qual as acusações contra os cinco foram anuladas e ordenou um novo processo judicial por considerar que eles não tiveram um processo justo.

Desta vez, o Pleno do Tribunal de Apelações instruiu os juízes a examinarem o resto dos argumentos da apelação.Nesta decisão, o Júri ratificou os veredictos de culpabilidade dos cinco; ratificou as sentenças de Gerardo Hernández e René González; anulou as sentenças de Antonio Guerrero, Fernando González e Ramón Labañino e devolveu ao Tribunal do Distrito de Miami os casos desses três últimos para serem sentenciados de novo.

Os 5 e as Acusações:
GERARDO HERNANDEZ NORDELO: Nasceu na cidade de Havana em 4 de junho de 1965. Formado em 1989 obteve a Licenciatura em Relações Políticas Internacionais, no Instituto Superior de Relações Internacionais do Ministério das Relações Exteriores. Gerardo é desenhista e caricaturista com publicações na imprensa nacional cubana e exposições em diversas galerias. Seus poemas têm sido publicados em meios eletrônicos. Gerardo foi condenado injustamente a pena equivalente a duas prisões perpétuas e mais 15 anos. O governo dos Estados Unidos proíbe a esposa de visitá-lo. Acusações: conspiração geral; conspiração para cometer espionagem; conspiração para cometer assassinato; uso de falsa identidade e conspiração para agir como um agente estrangeiro não registrado.

RAMON LABAÑINO SALAZAR: Nasceu em 9 de junho de 1963 na cidade de Havana. Formado com Diploma de Ouro na Universidade de Havana, obteve a Licenciatura em Economia no ano de 1986. É autor de poemas publicados em Cuba e em outros países. Ramón tem três filhas, com idades de 18, 12 e 8 anos. Foi condenado injustamente à prisão perpétua e mais 18 anos.
Acusações: conspiração geral; conspiração para cometer espionagem; uso de falsa identidade e conspiração para agir como um agente estrangeiro não registrado.

ANTONIO GUERRERO RODRIGUEZ: Nasceu em 16 de outubro de 1958 na cidade de Miami., Estados Unidos. Formou-se como Engenheiro em Construção de Aeródromos na Universidade Técnica de Kiev, antiga União Soviética. Sua obra mais importante foi a ampliação do Aeroporto Internacional de Santiago de Cuba. Antonio é poeta e pintor. Publicou três livros, o primeiro "Desde minha altura", e dois mais recentes "Poemas Confidenciais" e "Décimas de Antonio Maceo". Alguns de seus poemas foram musicalizados. Tem dois filhos, de 20 e 13 anos. Também condenado injustamente à prisão perpétua e ainda 10 anos.
Acusações: conspiração geral; conspiração para cometer espionagem e conspiração para agir como um agente estrangeiro não registrado.

RENÉ GONZALEZ SEHWERERT: Nasceu em Chicago, Estados Unidos, em 13 de agosto de 1956. É piloto e instrutor de vôo. René tem duas filhas, de 21 e 7 anos. No período entre os anos de 1977 a 1979 participou como combatente internacionalista na guerra pela libertação de Angola e contra o apartheid. René foi condenado injustamente a 15 anos de prisão. O governo dos Estados Unidos também proíbe a esposa de visitá-lo.

Acusações: conspiração geral e conspiração para agir como um agente estrangeiro não registrado.
FERNANDO GONZALEZ LLORT: Nasceu na cidade de Havana, em 18 de agosto de 1963. Formado com Diploma de Ouro, em 1987, é Licenciado em Relações Políticas Internacionais, pelo Instituto Superior de Relações Internacionais do Ministério das Relações Exteriores. No período entre 1987 e 1989 participou como combatente internacionalista na guerra pela libertação de Angola e contra o apartheid. Fernando foi condenado injustamente a 19 anos de prisão. Acusações: conspiração geral; uso de falsa identidade e conspiração para agir como um agente estrangeiro não registrado.

(Com informações do portal Mundo do Trabalho)



No artigo

x