‘Mataram Irmã Dorothy‘ estreia nesta sexta-feira

O documentário “Mataram Irmã Dorothy”, que estreia nesta sexta-feira, 17, nos cinemas brasileiros. Dirigido pelo norte-americano Daniel Junge, o documentário conta a história do assassinato da missionária e explora os bastidores do julgamento de quatro dos cinco acusados...

178 2

O documentário “Mataram Irmã Dorothy”, que estreia nesta sexta-feira, 17, nos cinemas brasileiros.

Dirigido pelo norte-americano Daniel Junge, o documentário conta a história do assassinato da missionária e explora os bastidores do julgamento de quatro dos cinco acusados pelo crime.

Stang foi morta com seis tiros em 12 de fevereiro de 2005 no município de Anapu (PA), a sudoeste de Belém. Ela lutava pela implantação de um Projeto de Desenvolvimento Sustentável (PDS), um tipo de assentamento de reforma agrária que causa menos impacto ao meio ambiente.

Confira o Trailler



No artigo

2 comments

  1. Maira Neves

    Vi o documentário antes de chegar ao circuito comercial, em uma exibição que ocorreu durante o Fórum Social Mundial, de 2009 em Belém. É absolutamente necessário que se veja o documentário, pois crimes como esses ocorrem mais do que constantemente no Pará, o mais absurdo é perceber os bastidores do julgamento, advogados sórdidos e uma justiça inoperante. A unica critica que deixo registrada aqui, é a ausencia de explicações ao expectador sobre como certas cenas foram feitas, pois chegam a ser irreais em alguns momentos, mas não são. Faltou apenas esse cuidado. Ver esse filme é uma atitude politica, pois é vergonhoso que essas pessoas ainda estejam em julgamento, com o risco de serem absolvidas. Um filme que precisa circular, precisa ficar semanas nos cinemas.

  2. Maira Neves

    Vi o documentário antes de chegar ao circuito comercial, em uma exibição que ocorreu durante o Fórum Social Mundial, de 2009 em Belém. É absolutamente necessário que se veja o documentário, pois crimes como esses ocorrem mais do que constantemente no Pará, o mais absurdo é perceber os bastidores do julgamento, advogados sórdidos e uma justiça inoperante. A unica critica que deixo registrada aqui, é a ausencia de explicações ao expectador sobre como certas cenas foram feitas, pois chegam a ser irreais em alguns momentos, mas não são. Faltou apenas esse cuidado. Ver esse filme é uma atitude politica, pois é vergonhoso que essas pessoas ainda estejam em julgamento, com o risco de serem absolvidas. Um filme que precisa circular, precisa ficar semanas nos cinemas.

Comments are closed.


x