MTST e governo federal entram em acordo

Após seis dias de manifestação na frente do apartamento do presidente Lula em São Bernardo do Campo, integrantes do Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST) entraram em acordo...

308 2

Após seis dias de manifestação na frente do apartamento do presidente Lula em São Bernardo do Campo, integrantes do Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST) entraram em acordo com a Presidência. Ontem e hoje houve reuniões com a secretaria da Presidência, que foram marcadas com intermédio do presidente do PT em São Bernardo, Wanderley Salatiel.

Entre as principais reivindicações do MTST estava a garantia de participação de membros do movimento no programa “Minha Casa, Minha Vida”, e a garantia de que a comunidade de “Zumbi dos Palmares” não fosse despejada de Sumaré, interior do estado de São Paulo.

O movimento também reivindicava a concretização de acordos travados com a Caixa Econômica Federal (CEF) no financiamento de moradias populares em Osasco e investimentos em infra-estrutura no assentamento “Anita Garibaldi”, em Guarulhos.

Segundo a assessoria do movimento, várias reivindicações foram atendidas e os integrantes do MTST que se acorrentaram dia a dia em São Bernardo como ato de protesto serão desacorrentados no fim desta tarde, quando também divulgarão para a imprensa os termos do acordo com a presidência.

Leia mais:
“Vamos radicalizar na ação, não temos alternativa”, afirma membro do MTST



No artigo

2 comments

  1. Dierley

    “Vamos radicalizar na ação, não temos alternativa”. Este é o retrato da realidade, do pobre, diante da sociedade canibal, só causa impacto quando radicaliza. O Problema é que a “grande mídia“ em face a radicalização daquele que não tem poder, discursa de um modo que leva à população em geral a ver esses lutadores que reevindicam um teto ou um pedaço de chão como marginais. O povo brasileiro precisa conhecer o verdadeiro espírito de democracia e denúncia que mantém de pé as bandeiras do MST e do MTST.

  2. Dierley

    “Vamos radicalizar na ação, não temos alternativa”. Este é o retrato da realidade, do pobre, diante da sociedade canibal, só causa impacto quando radicaliza. O Problema é que a “grande mídia“ em face a radicalização daquele que não tem poder, discursa de um modo que leva à população em geral a ver esses lutadores que reevindicam um teto ou um pedaço de chão como marginais. O povo brasileiro precisa conhecer o verdadeiro espírito de democracia e denúncia que mantém de pé as bandeiras do MST e do MTST.

Comments are closed.


x