Nossa Estante: O negócio do michê. A prostituição viril em São Paulo

O negócio do michê. A prostituição viril em São Paulo Néstor Perlongher Fundação Perseu Abramo R$ 38 Na década de 80, o antropólogo argentino Néstor...

428 0

ReproduçãoO negócio do michê. A prostituição viril em São Paulo
Néstor Perlongher
Fundação Perseu Abramo
R$ 38

Na década de 80, o antropólogo argentino Néstor Perlongher se lançava em meio a uma São Paulo pungente e viva em transgressões. Vindo da Argentina, após participar ativamente de movimentos pelos direitos dos homossexuais, Perlongher colheu depoimentos de michês, clientes, “entendidos” e outras personagens que faziam a noite paulistana. Estudou, catalogou e decifrou condutas sexuais, códigos e os territórios do mercado do prazer. O resultado dessa incursão foi sua dissertação de mestrado, defendida na Universidade de Campinas (Unicamp), sobre os bares, saunas e ruas onde rapazes comercializam sexo, amam, brigam e negociam, além do registro do “gueto” paulistano, que contribuiu para a construção de uma cultura gay.
Da dissertação ao livro, lançado em 1987, a obra acabou se tornando referência para aqueles que discutem comportamento, sexualidade e, invariavelmente, o período de transição da recente história da redemocratização no Brasil e sua relação com o germe do que viria a ser o movimento LGBT em São Paulo. O negócio do michê. A prostituição viril em São Paulo, agora re-editado pela Fundação Perseu Abramo, está novamente disponível para contribuir com os estudiosos, ativistas ou aqueles que desejam entender um pouco mais sobre uma realidade bastante complexa.

 

ReproduçãoErnesto Guevara, também conhecido como Che
Paco Ignacio Taibo II
Expressão Popular
R$ 30

Em 728 páginas, o leitor pode esmiuçar a vida de Ernesto “Che” Guevara na mais completa e minuciosa biografia escrita sobre ele. O mexicano Paco Ignacio Taibo II pesquisou um vasto material – como diários, notas manuscritas, artigos, poemas, livros – e reconstruiu desde a infância de Che, na Argentina, passando por suas viagens na América do Sul e por seu encontro com Fidel Castro na Cidade do México. Narra também sua participação junto aos revolucionários cubanos, que preparavam seu retorno a Cuba e a deflagração da luta armada contra a ditadura de Fulgencio Batista, até sua atuação em uma das colunas da guerrilha, essencial para a vitória da revolução. Paco também reconta a atuação de Che em cargos burocráticos em Cuba, em funções como ministro da Economia, por exemplo. Conclui com um relato sobre seu retorno à atuação direta em lutas revolucionárias, a incursão no Congo e na Bolívia, local onde pretendia organizar, além do movimento guerrilheiro, uma coordenação latino-americana que articulasse os vários movimentos guerrilheiros do continente.
Quando se completam os 50 anos da Revolução Cubana, o livro é uma boa pedida para entender como a maleta de médico de Che virou fuzil, caneta, vários livros e muitas histórias que continuam a inspirar todos os que pensam e atuam por um mundo mais justo.

 

ReproduçãoO Filho Eterno  Cristovão Tezza
Record
R$ 34

Um homem com uma vida mal resolvidaprofissionalmente, que vive às custas da esposa e aguarda o nascimento de um filho. Como todo pai, projeta para o menino um futuro sem igual, que realize os sonhos e supere as frustrações que ele próprio não conseguiu vencer. Assim, não só seria redimido como retomaria o norte de sua trajetória pessoal.
Mas algo não sai como planejado. Seu filho nasce com síndrome de Down e o mundo se transforma. A partir daí, uma torrente de pensamentos, sensações e reflexões invade sua vida e Cristovão Tezza as narra com raro brilhantismo em O Filho Eterno. A história, que pela sinopse poderia se tornar um dramalhão ou uma história piegas banal, consegue não apenas envolver o leitor como transpira sinceridade e autenticidade em cada linha.
A partir do nascimento indesejado, o escritor passa a reorganizar sua própria vida e repensar seus valores. Em meio à instabilidade que era constante até então, o filho, algo definitivo e irreversível, confere aos poucos o chão necessário para o personagem construir uma trajetória mais sólida. Uma obra que é um convite a uma série de reflexões que não deixam de emocionar, sem apelações ou eufemismos.



No artigo

x